O filme “Mais Que Vencedores” chega aos cinemas brasileiros no dia 21 de novembro e tem a proposta de mostrar que, muitas vezes, as pessoas enfrentam dificuldades por não saberem quem elas são em Deus e por não conhecerem a força que carregam dentro de si. Nos Estados Unidos o filme e já foi assistido por mais de 1 milhão de pessoas.



O longa aborda questionamentos que, muitas vezes, estão presentes desde a adolescência, como a verdadeira identidade e paternidade em Deus. Os escritores Alex e Stephen Kendrick contam que o filme surgiu de forma inesperada, quando Alex estudava sobre o tema identidade, e Stephen fazia um estudo baseado nos capítulos 1 e 2 do livro de Efésios. Para eles, o filme traz uma a mensagem sobre quem Deus é e como deseja se relacionar com os seus filhos.



“Eu quero que as pessoas saiam do cinema pensando: Há um Deus que me criou, me ama, tem um propósito para mim e quer me conhecer", afirma Sthephen.



“Mais Que Vencedores” é uma descoberta de quem consegue determinar a verdadeira identidade do ser humano e o que é preciso vencer para abraçar a vida que Deus tem para a humanidade. É um filme que tem a pretensão de que o público se identifique com as histórias dos personagens, que vivem situações corriqueiras e desafiadoras, em que sua fé é colocada à prova. Hannah (Aryn Wright-Thompson), por exemplo, não acredita que é amada, sente-se vazia por dentro por não conhecer os pais. Ela não se vê como Deus a vê e acredita que sua vida não tem valor. E, por sua vez, John (Alex Kendrick) passa por uma forte crise de identidade quando vê o sonho de ganhar o campeonato com seu time de basquete se desmoronar.