Eduardo Paes recua e vai flexibilizar o próprio decreto do passaporte da vacina O decreto divulgado hoje pela Prefeitura do Rio de Janeiro, que incluiu táxis, shoppings e carros de aplicativo nos estabelecimentos e serviços que precisam exigir comprovantes de vacinação contra a Covid-19, será revisto. Segundo o prefeito Eduardo Paes, houve um exagero e na sexta-feira (3) um novo decreto será publicado com o ajuste.

"O passaporte vacinal é um garantia pra que a cidade continue aberta. É a garantia de que o Rio vai voltar a funcionar, como voltou. Ele diminui o risco de transmissão e protege as pessoas do risco de morte. Eu assinei o decreto mas tem de ver a praticidade e efetividade de algumas medidas mesmo. Não adianta criar medidas que a gente sabe que ninguém vai cumprir", disse Paes.

Para os demais locais, como academias e estádios de futebol, a regra de exigência do passaporte da vacina continua valendo.

No Rio, a vacinação foi disponibilizada para toda a população de 12 anos ou mais. No entanto, 600 mil pessoas não retornaram aos postos para tomar a segunda dose.