Operação prende acusados de formar rede de pedofilia por WhatsApp

Quinze pessoas foram levadas para a Cidade da Polícia, no Jacaré, na Zona Norte do Rio, por suspeita de envolvimento em uma rede de pedofilia praticada em grupos de WhatsApp. Elas foram detidas durante a Operação Imperiumque acontece nesta terça-feira em várias regiões do estado. Quatro foram presos em flagrante e 11 foram detidos e terão aparelhos eletrônicos, como celular e computador, periciados.



A operação é realizada pela Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) e cumpriu 13 mandados de busca e apreensão na capital (4), Itaguaí (1), Nova Iguaçu (1), São Gonçalo (1), Itaguaí (1), Miracema (1), Campos dos Goytacazes (2), Araruama (1), Silva Jardim (1) e Barra Mansa (1). 



Segundo a polícia, as investigações começaram há cerca de três meses a partir de uma denúncia recebida pelo Disque Denúncia. A partir daí, policiais conseguiram se infiltrar nos grupos, formados por homens e mulheres, para comprovar o crime. Além do Rio, a DCAV também identificou grupos de vários outros estados e até de fora do país. 



"Pedimos as medidas cautelares pertinentes e na posse desses mandados, estamos hoje realizando a Operação Império de combate à pedofilia em todo o Estado do Rio de Janeiro", Aguiar reforça.



Cuide do seu filho



Tenha em mente que é muito difícil controlar dados on-line. Uma simples e aparentemente ingênua foto pode dar uma enorme dor de cabeça. Fique atento a estes 10 cuidados que você deve ter ao postar fotos de crianças. Coloque-as em prática e previna-se de problemas. 



1. Fotos da criança nua, no banho ou de fraldas 



Esse tipo de imagem pode ser facilmente usada em sites de pedofilia, que chegam a pagar mais caro por fotos de crianças nuas. 



2. Fotos da criança de uniforme 



Pelo computador, tablet ou smartphone é possível embaçar, pintar ou colar uma imagem sobre o logo da escola. Isso evita que um desconhecido mal intencionado saiba onde ela estuda. 



3. Fotos que deem pista de onde a criança mora 



A foto é de seu filho fazendo gracinha, mas ao fundo tem o número da casa, o nome de uma loja, um ponto de referência qualquer que dê pistas de onde a criança mora. Com o Google, é possível encontrar qualquer endereço. Portanto, preste atenção ao fundo das imagens antes de postá-las. 



4. Fotos que seu filho não gostaria de ver publicadas no futuro



Uma gracinha da criança hoje pode vir a ser o bullying no futuro. Imagine seu filho adolescente vendo a foto que você está publicando hoje: ele se importaria? A imagem é dele, e é pela privacidade dele que você deve zelar. 



5. Foto que você não publicaria num outdoor 



Aquilo que você não gostaria de ver exposto num outdoor no meio da cidade não deve ser publicado. O que se posta na web fica registrado para sempre e jamais poderá ser totalmente deletado. 



6. Fotos de crianças sem que os pais tenham autorizado



Teoricamente você conhece todas as pessoas do seu círculo nas redes sociais. Mas e os amigos dos seus amigos? Por isso, não faça com o filho dos outros o que você não gostaria que fizessem com o seu. Antes de publicar a foto em que uma criança está presente, consulte seus pais previamente. E se a foto de seu filho foi compartilhada sem sua autorização, não hesite em pedir que a pessoa a retire. 



7. Fotos que estejam marcadas pelo GPS do seu aparelho



Redes sociais, como Facebook e Instagram, e algumas câmeras são capazes de registrar o local em que as fotos são tiradas. Desabilite esta função nas configurações do dispositivo, assim criminosos terão mais trabalho em saber onde está sua família neste momento. 



8. Fotos que avisem onde você ou seu filho estão 



#partiupraia, "Até que enfim a viagem", "Chegando a …", "Meu fofo na Disney". Postagens deste tipo denunciam que sua casa está livre ou que seu filho está em determinado local, facilitando a ação de gente mal intencionada. 



9. Fotos compartilhadas publicamente 



Quanto mais gente vir a foto, mais chances ela tem de cair nas mãos erradas. Por isso, ajuste as configurações de privacidade para que apenas seus amigos vejam suas fotos. Se quiser ser ainda mais específico, agrupe seus amigos em listas e compartilhe as fotos apenas com as listas em que você confia. 



10. Fotos que não estejam guardadas numa pasta com senha 



Mesmo sendo precavida ao postar as fotos de seus filhos, seus aparelhos eletrônicos podem ser roubados, e os dados podem cair nas mãos de criminosos. Guardar as fotos em arquivos protegidos por senha dificulta o acesso, resguardando a privacidade de toda a família.