Clínica de gênero nos EUA que prescreveu bloqueadores da puberdade fecha em meio a protestos Uma clínica de Dallas, nos Estados Unidos, que gerou polêmica por fornecer bloqueadores da puberdade para crianças com disforia de gênero (identificação forte e persistente com o gênero oposto associada a ansiedade, depressão, irritabilidade) foi fechada após protestos.

O “GENder Education and Care, Interdisciplinary Support program” (GENECIS) foi formalmente dissolvido no início deste mês, relatou o jornal The Texas Tribune.

Funcionários da clínica não especificaram um motivo para a dissolução, mas explicaram em um comunicado que outras entidades passarão a atender seus pacientes atuais.

“Endocrinologia pediátrica, psiquiatria e atendimento a adolescentes e jovens adultos coordenados por meio deste programa agora são gerenciados e coordenados por cada departamento de especialidade”, afirmaram funcionários da clínica, citados pelo The Texas Tribune.

Jennifer Lahl, fundadora e presidente da Rede do Centro de Bioética e Cultura, recebeu bem a notícia do encerramento do programa. 

“Em primeiro lugar, a puberdade não é um evento aleatório que acontece no desenvolvimento humano normal em crianças pequenas que pode ser bloqueado sem consequências”, afirmou Lahl.

“Em segundo lugar, há muito que a profissão médica pode oferecer às crianças com disforia de gênero, que trata do cerne do problema sem causar danos permanentes a seus corpos. Esperemos que muitas outras clínicas nos EUA sejam fechadas. ”

O programa GENECIS foi lançado em maio de 2015 e afirmava ser a única clínica desse tipo no sudoeste dos Estados Unidos.

A diretora médica do programa, a endocrinologista pediátrica Dra. Ximena Lopez, disse ao The Dallas Morning News em uma entrevista de 2015, que ela acreditava que a clínica daria às crianças identificadas como trans "uma oportunidade de ter uma vida normal".

“A nova geração de pessoas trans que veremos é completamente diferente”, disse Lopez na época. “Eles parecerão normais, como você e eu, e serão felizes.”

A clínica enfrentou críticas por seu uso de bloqueadores da puberdade, controvertidas drogas experimentais que os críticos acreditam que poderiam ter um impacto irreversível nos corpos dos adolescentes se usadas por um longo tempo. 

Os defensores de tais tratamentos afirmam que os efeitos das drogas são reversíveis. No entanto, os reguladores da saúde disseram que pouco se sabe sobre os efeitos colaterais de longo prazo dos bloqueadores hormonais ou da puberdade.

Os protestos contra o GENECIS foram organizados pela Save Texas Kids. Em várias manifestações nas últimas semanas, ativistas criticaram os membros do conselho do Dallas Children's por permitir que o GENECIS prescrevesse bloqueadores da puberdade. A Save Texas Kids argumenta que prescrever bloqueadores da puberdade para crianças que sofrem de disforia de gênero é "abuso médico infantil".

Os bloqueadores da puberdade foram aprovados para tratar crianças que começam a puberdade em uma idade anormalmente jovem, mas não foram expressamente aprovados pela Food and Drug Administration, o equivalente à Anvisa, para tratar disforia de gênero. 

Os defensores da prescrição de bloqueadores da puberdade para crianças com disforia de gênero dizem que eles são necessários para atrasar a puberdade para que as crianças possam ter mais tempo antes de tomarem decisões sobre o início do uso de hormônios do sexo oposto.