CCJ debate criação do Dia Nacional do Pastor, no segundo domingo de junho

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania realizou nesta quarta-feira (10) um debate sobre a criação do Dia Nacional do Pastor, a ser celebrado anualmente no segundo domingo do mês de junho. O debate foi sugerido pelo deputado João Campos (Republicanos-GO).

Foram convidados:


-  O presidente da Catedral das Assembleias de Deus Ministério Madureira em Brasília, Pastor João Adair Ferreira;


-  O presidente do Conselho de Pastores Evangélicos do Distrito Federal (Copev-DF), Pastor Josimar Francisco Da Silva;


-  O presidente da Sara Nossa Terra, Bispo Robson Lemos Rodovalho; e


- O presidente da Associação Pró-Evangélicos do Brasil e Exterior ( Apebe), Pastor Elias Castro Castilho.

O Projeto de Lei que institui o Dia do Pastor é de 2017 e tem como autor o deputado federal Jhonatan de Jesus. Em sua justificativa, o deputado destacou “a necessidade de se fazer eco à mensagem do Apóstolo Paulo, que, escrevendo aos Hebreus, disse: “Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver” (Hebreus 13:7).

A origem da comemoração é desconhecida, mas há registro da instituição da comemoração no segundo domingo de junho no Brasil por ocasião da 7ª sessão, da 40ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira, realizada no dia 19 de janeiro de1957. A data inicialmente servia para que as igrejas lembrassem e homenageassem seus antigos pastores que no seu ministério serviram o Senhor e abençoaram seu povo. Mais tarde, o Dia do Pastor também passou a representar o reconhecimento por parte das igrejas ao trabalho dedicado de seus obreiros do presente.

A leitura do Projeto de Lei pode ser feita AQUI.

Assista abaixo ao debate sobre a criação do Dia Nacional do Pastor.



*Com informações da Agência Câmara