Inscrições abertas para programa que ajuda a conectar jovens a oportunidades de emprego Estão abertas até 31 de outubro as inscrições para o Coletivo Online, versão 100% digital da Plataforma Coletivo Jovem, do Instituto Coca-Cola Brasil (ICCB). A iniciativa capacita e conecta jovens de 16 a 25 anos, moradores de comunidades de baixa renda, com oportunidades no mercado de trabalho por meio de uma rede de mais de 400 parceiros empregadores. O início das aulas será em 1 de novembro. O ICCB é parceiro da Rede do Plano Progredir do Ministério da Cidadania.

A aceleração de iniciativas digitais está conectada ao compromisso de impactar milhões de jovens na temática de inclusão produtiva como uma das alavancas de transformação e crescimento econômico para o país.

O programa online é gratuito e oferece videoaulas curtas e objetivas durante cinco semanas. O formato permite que o jovem faça o curso de qualquer lugar, a qualquer momento, por meio de seu WhatsApp, aplicativo amplamente utilizado por jovens que podem ter problemas de conectividade.

O conteúdo do Coletivo Online é focado em temas do mundo do trabalho, como elaboração de plano de vida, planejamento financeiro, construção de currículo e como se preparar para entrevistas e processos seletivos. Quem assistir às videoaulas e fizer as atividades práticas recebe certificado de conclusão e, ao fim do curso, os participantes são convidados a se cadastrar nas comunidades de vagas do programa. Assim, podem se candidatar aos processos seletivos de uma rede de parceiros empregadores.

Além da faixa etária, o outro requisito para participar é ter concluído o ensino médio ou estar cursando. Os gestores do Cadastro Único e trabalhadores da rede socioassistencial podem identificar potenciais interessados em se inscrever no programa e orientar no acesso à página de inscrição.

Apenas em 2021, 25 mil jovens se formaram nas aulas do programa online. De acordo com a pesquisa da Plan Avaliação, 95% dos jovens certificados pelo programa online avaliam o curso como muito bom e 85% consideram que a iniciativa contribui para seu desenvolvimento.



*Com informações do Ministério da Cidadania