Fernanda Brum fala sobre novo sucesso: Jardim

Prestes a completar 30 anos de ministério a cantora Fernanda Brum é cada vez mais presente no dia a dia da família brasileira. Além de ver suas músicas entre as mais tocadas na rádio evangélica de maior audiência do Brasil, a Melodia, a também pastora já é presença comum em programas de TV. Neste domingo (24), a também pastora marcou presença no beneficente do SBT, o Teleton. O apresentador Ratinho revelou que a cantora foi uma das maiores audiências do seu programa. E desta vez não foi diferente. Fernanda cantou o seu novo sucesso Jardim, sobre o qual ela falou ao Melodia News.

Suas músicas sempre fugiram do lugar comum... Muitas são temáticas, trazem uma sonoridade própria.. Como você trabalha com a escolha de suas músicas? Como você seleciona o seu repertório?

Fernanda Brum: O meu repertório é um caso a parte. Ele nunca é feito só por mim. Na verdade, aquilo que eu estou vivendo e meus compositores estão vivendo reflete na temática dos meus álbuns. Meus álbuns são temáticos; eles têm uma sonoridade bem própria porque são criados pelo Emerson (marido e compositor) e como nós somos uma só carne, esse cordão de três dobras, eu, Emerson e outros amigos compositores tem feito muito sucesso. 

A primeira música que você lançou na Sony Music foi a canção “AR” e a repercussão foi excelente! Você esperava este resultado já no seu primeiro single

lançado?


A música AR foi uma grande surpresa para todos nós. Logo de primeira, uma super produção tão forte. Dizer que eu já estava esperando o sucesso é altivo, mas dizer que eu esperava que as pessoas fossem completamente inundadas pela graça de Deus e que iriam entender, aí sim é uma boa resposta. Eu quero já apresentar pra vocês a nova canção, Jardim. 

Hoje em dia os artistas estão lançando singles, EPs e álbuns... antigamente os artistas levavam em média 2 anos para lançar seus trabalhos. Essa constância em ter que gravar e lançar novos conteúdos em sequência ... como você tem avaliado?

Eu tenho me adaptado a todas as mudanças. Eu venho do tempo dos LPs e K7. De acordo com tudo aquilo que se pede, eu tenho trabalhado com todas as minhas forças, como diz a Bíblia. Eu tenho avaliado como algo muito novo, muito bom. Tenho curtido esse tempo em que tenho feito depósitos de canções. Na verdade, as rádios recebem EP por EP ou single por single. Mas nós já temos muitas canções já gravadas que o público não tem a menor ideia. Vamos lançando aos poucos. 

Como você enxerga e analisa o que tem sido a música gospel no Brasil nestes tempos? Qual a visão que você tem do que tem sido produzido? E aproveitando, como você enxerga a chegada de novos e jovens artistas ao cenário da música cristã?

Eu enxergo e analiso com muito bons olhos tudo o que tem acontecido na música gospel brasileira. Principalmente os jovens artistas, aquele que têm chegado com muita força, com muita alegria e muito respeito àqueles que vieram antes deles. Nós temos recebido brasas no altar do Senhor pra que essa fogueira continue acesa. A música gospel ainda vai muito e muito longe. 

Seus clipes sempre são produções muito diferenciadas e bem produzidas. O clipe de “Escreve” é uma super produção. Conta um pouco mais sobre o processo de produção deste clipe.

O clipe escreve é isso que vocês assistiram. Realmente foi uma super produção com Robert Shay e toda sua equipe e a minha equipe também. Eu amo fazer clipes. É uma parte do ministério que eu gosto demais, que eu percebo que o Espírito Santo me deu uma graça pra fazer isso. Independentemente de qualquer canção eu tenho uma história, um clipe, pra escrever a partir dela.

Estes singles que você tem lançado serão todos reunidos num EP ou num álbum? Qual a previsão de lançamento e o fechamento desta sua primeira fase de lançamentos?

Eu gostaria que fosse um álbum (risos). Mas é um EP. Eu tenho lançado singles desse EP. Mas olhando hoje para tudo o que está sendo criado, que está em estúdio e que vocês ainda irão conhecer, ele poderia muito bem ser um álbum. Mas isso depende muito da gravadora e assim será de acordo com o que a Sony planejou. Essa é uma primeira fase de lançamentos. Mas já, já tem muito mais. Com certeza.

Após esse ciclo você tem pela frente mais projetos? Ficamos sabendo de um projeto de releituras e outro temático, inédito... já pode nos contar sobre ele?

Depois desse projeto, eu já tenho um ciclo com novas canções, com releituras, com canções que durante esses 29 anos de ministério têm marcado a nossa vida, a nossa história. E depois temos um temático, inédito. Não vou deixar nenhum spoiler, mas já tem um outro álbum que já vai começar a ser gravado agora. É um álbum muito especial, só posso dizer isso.
Tenho separado para vocês muitas novidades vindas diretamente do coração de Deus. 

Sua música recém-lançada, “Jardim”, também está repercutindo bem demais. Fale-nos um pouco mais dessa canção.

A música Jardim é uma música linda que na verdade fala da tristeza de ter sido tirado do Éden através do pecado. Mas a alegria de ter sido inserido no Éden através de Jesus Cristo. Na verdade, ela é um choro de Adão querendo viver aquilo como era no começo. Ela fala também sobre o nosso coração, tendo provado da presença de Deus e que agora, longe da presença do Senhor, precisa fazer um caminho de volta. É um convite a todas as pessoas que de alguma maneira estiveram na presença de Deus e hoje estão em outro caminho. É um convite para que elas voltem ao jardim de Deus, porque o Éden do Senhor está disponível para todos nós. Jesus levou sobre si todas as nossas enfermidades e nossos pecados. O castigo que nos traz a paz estava sobre Ele e por suas pisaduras fomos sarados. Aleluia!