Publicidade

Repórter é intimidado e quase agredido em manifestação pró-Lula Aos gritos de “Lula livre” e “Fascista” manifestantes em São Paulo atacaram o repórter Marcelo Mattos, da Jovem Pan, nesta quinta-feira (30) em um ato que inicialmente seria em defesa da educação.



O jornalista foi intimidado e quase agredido, sendo impedido de exercer a sua profissão.

Um homem – que não teve o nome identificado – chegou a invadir a transmissão (em vídeo) e gritar palavras como “canalhas e racistas”. Outro, mais exaltado, deu uma “peitada” no repórter e gritou xingou o repórter. Alguns manifestantes estavam vestidos com a camisa do PT.



Segundo relatou Mattos, um homem que estava usando o crachá da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) precisou intervir e proteger a equipe da emissora.



Os jornalistas Felipe Moura Brasil, Augusto Nunes e José Maria Trindade comentaram o comportamento autoritário dos manifestantes ao vivo durante o programa “Os Pingos nos Is”.



“Essa manifestação está politizada e a gente lamenta esta hostilidade com a imprensa, com o repórter que está lá na rua cumprindo o seu dever de informar”, comentou Moura Brasil, que também é diretor de jornalismo da Jovem Pan.



Mencionando os jornalistas que criticaram as manifestações do último domingo (26), Augusto Nunes questionou:



“Eu faço questão de ouvir os juízes de manifestação. Os jornalistas que disseram que a manifestação de domingo (26) era antidemocrática. Eu quero saber se eles acham que esse tipo de comportamento contra a imprensa é democrático e é pedagógico. Se ele é bem recebido pelo povo brasileiro?”