Vereador de Duque de Caxias é preso acusado de agiotagem O vereador de Duque de Caxias/RJ Carlos Augusto Pereira Sodré, o Carlinhos da Barreira (do MDB), foi preso hoje na Operação Barreira Petrópolis. Segundo a força-tarefa da Polícia Civil do Rio e do Ministério Público do Estado, Carlinhos chefia uma quadrilha de agiotas que praticam extorsão. Ele também é acusado de lavagem de dinheiro e fraude à licitação.

O vereador está no terceiro mandato consecutivo e foi o terceiro mais votado nas eleições de 2020 em Duque de Caxias. Também foram presos na operação os PMs Ricardo Silva dos Santos e Carlos Alexandre da Silva Alves.

A operação Barreira Petrópolis também cumpre 17 mandados de busca e apreensão em endereços ligados aos acusados. Bens imóveis e recursos financeiros do vereador também tiveram o sequestro determinado pela Justiça.

De acordo com o MPRJ, o parlamentar emprestava dinheiro a pessoas físicas e exigia pagamento de juros mensais. Para um empréstimo de R$ 1 milhão para um empresário do ramo de venda de automóveis, por exemplo, foi exigido pagamento de R$ 35 mil apenas a título de juros mensais.

Ameaça de morte
Ainda segundo o MPRJ, como o empresário não conseguiu honrar o compromisso assumido, o vereador acionou os dois policiais para ameaçá-lo de morte.
O mesmo vereador também é acusado de ser sócio de uma empresa que manteve contratos governamentais entre 2013 e 2016, a partir de uma licitação fraudada. Outras empresas que mantinham contratos governamentais também são suspeitas de repassar recursos para a empresa do parlamentar.

Segundo o MPRJ, as investigações mostraram que o vereador também dissimulou a origem de R$ 62 milhões provenientes das práticas criminosas.