Quadrilha de roubo de carros pode estar por trás do assassinato de cirurgião plástico no Rio Uma quadrilha especializada em roubo de carros de luxo pode estar por trás da morte do cirurgião plástico Claudio Marsili, de 64 anos, na manhã de ontem (19), na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

O grupo tem como base o Morro do Turano, na Tijuca, Zona Norte da cidade. Foi nessa comunidade que a polícia encontrou o veículo usado pelos criminosos. Pouco depois, foi recuperada, também na TIjuca, a picape Toyota Hilux guiada pelo médico no momento em que ele foi baleado. O automóvel pode valer mais de R$ 250 mil.

A suspeita da Delegacia de Homicídios é que o latrocínio tenha sido praticado pelo bando chefiado por Thiago Fernandes Virtuoso, conhecido como Tio Comel, de 35 anos. Ele tem mais de 40 anotações por crimes como homicídio, tráfico de drogas e roubo majorado.

O Disque-Denúncia oferece recompensa de R$ 1 mil por informações que levem à captura desse chefe de quadrilha. O telefone é o (21) 2253-1177.

O crime
O médico foi morto da manhã de terça-feira (19) ao chegar para dar plantão na Clínica Vitée, da qual era sócio, no Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. O cirurgião plástico Claudio Marsili, de 64 anos, estacionava seu Hilux cinza quando foi surpreendido por criminosos em um Renault Sandero preto; um deles efetuou os disparos.