Investigações apontam que pastor se jogou na frente dos carros

Legistas descobriram que a morte de um pastor ocorrida há quatro meses não foi um acidente, como se pensou inicialmente, mas suicídio. Investigações revelaram que John R. Garner, de 64 anos, da Igreja Batista Bíblica de West Providence, em Everett, nos Estados Unidos, provocou seu próprio atropelamento.



As autoridades disseram que o pastor foi encontrado morto no estacionamento de uma loja no dia 18 de abril. Garner havia sido tratado com um corte no braço durante a noite anterior no hospital localizado perto da loja. Ele foi liberado e disse que iria aguardar a chegada de sua esposa.



O pastor acabou indo em direção à movimentada Rota 36 para aguardar a mulher. Investigadores inicialmente pensaram que ele foi atingido por um veículo lá. Mas agora a investigação apontou que ele se jogou na frente do carro.



O pastor deixou para trás uma esposa, quatro filhos e netos. Ele era descrito como um homem muito humilde e bondoso que amava o Senhor Jesus Cristo de todo o coração e alma, e não tinha medo de contar a ninguém sobre Jesus e como recebê-lo como seu Salvador. “Ele gostava especialmente de ganhar outros homens para Jesus Cristo e estimulá-los a fazer algo com sua vida por Jesus ”, dizia seu obituário.



Apesar da reviravolta no caso, Cliff Williams, uma das ovelhas de Garner, se recusou a aceitar a nova versão.



"Esse homem era meu pastor, ele não era suicida, acho que alguém está tentando encobrir algo", escreveu ele na seção de comentários da história.