Vacinação: Ministério da Saúde reduz intervalo entre doses da Astrazeneca Com mais de 100 milhões de brasileiros protegidos com as duas ou a dose única da vacina Covid-19, o Ministério da Saúde reforçou a campanha de alerta da população para a importância da segunda dose. Para isso, a pasta já concluiu o envio de 100% das doses de Astrazeneca necessárias para completar o esquema vacinal de toda população adulta brasileira. Para acelerar ainda mais a imunização, o Ministério reduziu o intervalo de 12 para 8 semanas entre as doses do imunizante.

Até o momento, o Governo Federal já distribuiu mais de 310 milhões de vacinas Covid-19 para todos os estados e Distrito Federal.

A partir de agora, a pasta segue enviando vacinas para as novas etapas da campanha: a dose de reforço da população acima de 60 anos, pessoas imunossuprimidas e profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à pandemia, além da imunização de adolescentes com comorbidades. Ainda nas próximas distribuições, também serão enviadas doses da Pfizer para completar o esquema vacinal de quem tomou a primeira dose desse imunizante, respeitando o intervalo de 8 semanas.

O último envio de doses para completar o esquema vacinal da população com Astrazeneca foi feito na pauta nº 56, disponível neste Informe Técnico. Nesta distribuição, de 3,6 milhões de doses, o Ministério da Saúde autorizou a diminuição do intervalo do imunizante, para 8 semanas.

"O Sistema Único de Saúde brasileiro tem uma estrutura extraordinária, nas mais de 38 mil salas de vacinação, nós temos condições de vacinar até 2,4 milhões de brasileiros todos os dias. Mas, peço para aqueles que não foram tomar a segunda dose da vacina, para procurar as salas de vacinação para completar a sua imunização", disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Quem ainda não completou o esquema vacinal e já está fora do prazo recomendado, está mais vulnerável aos sintomas mais graves e óbito pela Covid-19, já que os imunizantes de dose dupla ainda não atingiram a eficácia esperada. Até esta quarta, um levantamento do Ministério da Saúde mostra que 19,3 milhões de brasileiros estão nesta situação e precisam procurar um posto de vacinação. A segunda dose deve ser tomada mesmo se o prazo recomendado já tiver vencido.

Alerta

Durante todas as distribuições de vacinas, o Ministério da Saúde diz ter alertado diversas vezes sobre a necessidade de estados e municípios seguirem o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 e as recomendações pactuadas de forma tripartite, entre representantes da União e das gestões municipais e estaduais de saúde. Objetivo é fazer com que a vacinação avance de forma igual por todo o Brasil, e a segunda dose da população não seja prejudicada com falta de imunizantes.

O cálculo para garantir a segunda dose dos brasileiros é feito considerando o quantitativo já enviado nas pautas de distribuição anteriores, respeitando o intervalo recomendado.