Presos suspeitos de chacina na fronteira entre Brasil e Paraguai Seis brasileiros foram presos nessa segunda-feira (11) em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, após o início das investigações sobre a chacina ocorrida no último sábado (9). Entre as vítimas está Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha de Ronald Acevedo, um governador paraguaio. Além da jovem, duas brasileiras e um outro homem que acompanhavam Haylee também foram assassinados. As prisões foram feitas durante operação em uma casa da capital do departamento, na fronteira com o Brasil, segundo a polícia local.

A polícia paraguaia também encontrou um veículo queimado, que está sendo analisado para constatar se foi o mesmo utilizado pelos autores do ataque no qual, além da filha do governador Ronald Acevedo, outras duas jovens brasileiras e um homem morreram.

A polícia cogita que crime possa ter sido um possível acerto de contas entre grupos de traficantes de drogas. O homem morto seria o verdadeiro alvo do ataque.

O crime aconteceu na cidade Pedro Juan Caballero, no departamento de Amambay, no Paraguai, que fica na fronteira com o Brasil. Apenas uma rua divide os dois países. No lado brasileiro está o município de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. O grupo estava saindo de uma festa em Pedro Juan Caballero na madrugada de sábado quando foi baleado por desconhecidos.

As vítimas

1.Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos. Filha do governador de Amambay, Ronald Acevedo, que foi atingida por seis tiros.
2.Omar Vicente Álvarez Grance, de 32 anos. Conhecido como "Bebeto", atingido por 31 tiros.
3.Kaline Reinoso de Oliveira, de 22 anos. Estudante de medicina, natural de Dourados (MS), foi morta com 14 tiros.
4.Rhannye Jamilly Borges de Oliveira, de 18 anos, de Cáceres (MT), morta com 10 tiros.
Segundo a polícia, Omar era o alvo potencial dos pistoleiros.


(Foto: Reprodução / Redes Sociais