Dia da Bíblia

"Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho." (Salmos 119.105)



 



Ao abrirmos a nossa Bíblia, dificilmente lembramos o longo e delicado processo que a Palavra encontrou para se consolidar no Brasil - inúmeros entraves políticos, comerciais, uma grande dose de intolerância religiosa e outros - que só foram vencidos pela dedicação, sem limites, de cristãos usados por Deus para nos oferecer os mais significativos e preciosos textos de toda a história da humanidade.


Ainda hoje, segundo dados da Eternity News, jornal cristão da Austrália,  209 milhões de pessoas no mundo permanecem sem acesso à Palavra de Deus em seu idioma e 631 milhões têm apenas o Novo Testamento somados a 406 milhões para as quais estão disponíveis apenas frações da Bíblia.



Quando olhamos pelo viés das 7.097 línguas existentes no mundo, 6.754 têm a tradução de Bíblias completas, 1.515 têm Novos Testamentos e 1.135 têm apenas porções das Escrituras.




Isto tudo e ainda não mencionamos os países nos quais exercer a fé criistã e/ou possuir uma Bíblia pode ser motivo de punição com a sentença de morte. 

Há mais de uma década, segundo o relatório anual divulgado pela organização Portas Abertas, de alcance mundial no apoio aos cristãos perseguidos, a Coreia do Norte ocupa a primeira posição em países que perseguem cristãos. 

O ditador, Kim Jong-un segue a tradição de seu pai e avô considerando oficialmente os cristãos forças reacionárias e inimigas do Estado. Existem relatos de fieis crucificados e queimados.




De acordo com a Bitter Winter, uma publicação que monitora as violações da liberdade religiosa na China, a proibição de literaturas cristãs é uma prática difundida sendo comum que funcionários do Partido Comunista Chinês vasculharem gráficas em busca de materiais religiosos proibidos. 

“Qualquer conteúdo religioso torna a questão política, não religiosa. Embora faixas nas ruas digam que as pessoas têm crenças religiosas, a única fé que elas podem praticar livremente é a do Partido Comunista ”, disse o gerente de uma loja a Bitter Winter. Como as inspeções são “muito rigorosas”, ele disse que se recusa a imprimir materiais religiosos.


No Uzbequistão, possuir uma Bíblia pode ser considerado um crime grave e as pessoas pegas com o livro são sumariamente condenadas. Em maio de 2018 uma mulher foi espancada em sua casa por fazer parte de um grupo cristão. Ferida, ela foi levada ao hospital que se recusou a oferecer tratamento médico.



Outros países que proíbem o Evangelho são o Irã, Arábia Saudita, Afeganistão,  Somália, Maldivas, Iêmen, Laos, entre outros.



Segue  depoimento  de um missionário, cujo identidade foi preservada por Portas Abertas:



"Não é fácil depender das pessoas. Distribuir Bíblias clandestinamente é um trabalho que deve ser feito em equipe e o processo é demorado. Muitas vezes, eu tenho uma ideia que parece ser criativa para transportar as Bíblias, mas só posso colocar em prática se todos concordarem com o plano. 

Às vezes, as pessoas envolvidas acham muito arriscado e eu não posso forçá-las... Todos nós assumimos riscos, mas temos a liberdade de escolher o quão longe nós iremos. Nós sofremos muita pressão do governo e qualquer passo errado pode nos levar à prisão, mas nós temos confiado no Senhor, que tem nos guardado. 

Confesso que têm dias que fico cansado e tenho vontade de me sentar sob uma figueira, em qualquer lugar, e envelhecer em paz. Mas eu sei que Deus quer que eu continue, porque ele confirma isso com frequência. Jesus está envolvido nisso e não vou recuar".





Celebrado no segundo domingo de dezembro, o Dia da Bíblia foi criado em 1549, na Grã-Bretanha, pelo Bispo Cranmer, que a incluiu  no livro de orações do Rei Eduardo VI.  Nesta data tão singular para todos nós cristãos, oremos para que nossos irmãos da Igreja Perseguida possam ler as Sagradas Escrituras, bem como o mundo em geral.



Quanto a nós, neste segundo  domingo de 2020,  e em todos os outros dias, relembremos com temor e gratidão o privilégio, que custou e ainda custa a vida de inúmeros mártires, cujas vidas foram dedicadas para que neste exato momento possamos abrir a nossa Bíblia e recebermos a Palavra de Deus.





Soli Deo gloria






s