Bolsonaro convoca reunião de emergência para discutir situação da Amazônia

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu na noite de ontem (22) com oito ministros para discutir medidas a serem anunciadas hoje contra as queimadas na Amazônia.



Em edição extra do Diário Oficial, publicada após o encontro, Bolsonaro determinou a seus ministros que adotem "medidas necessárias para o levantamento e o combate a focos de incêndio na região da Amazônia Legal para a preservação e a defesa da Floresta Amazônica, patrimônio nacional".



Um estudo da NASA atualizado nesta quinta-feira (22) mostrou que as queimadas na Amazônia em 2019 estão próximas da média em comparação com os últimos 15 anos. Além disso, indicou que, de acordo com estimativas do banco de dados de Emissões Globais de Incêndio, no Mato Grosso e no Pará elas ficaram abaixo da média.



Segundo a agência, os incêndios na região são raros na maior parte do ano, devido ao clima úmido da floresta que impede o avanço das chamas. No entanto, em julho e agosto, a atividade aumenta devido à chegada da estação seca e também por possíveis ações criminosas.



Pegando carona no assunto, autoridades e celebridades saíram em defesa as Amazônia, mas demonstraram pouco conhecimento da floresta. O presidente francês, Emannuel Macron, e a modelo Gisele Bündchen publicaram nas redes sociais uma foto de uma queimada na Amazônia da década de 1990 feita por um fotógrafo já falecido. O craque Cristiano Ronaldo também quis parecer conhecedor do tema, mas ao defender a Amazônia nas redes sociais, usou uma foto de uma queimada no Rio Grande do Sul.