Brasil deve sediar cúpula sobre religião em 2022 O governo brasileiro trabalha para sediar, em 2022, uma cúpula sobre religião no país. A pauta é um dos carros-chefes da nova diplomacia brasileira e que, ao longo dos últimos dois anos, tem recebido o apoio de países mais conservadores. O encontro - conhecido como Reunião Ministerial para o Avanço da Liberdade ou Crença Religiosa da Aliança Internacional para a Liberdade ou Crença Religiosa (IRFBA) - deveria ser realizado em 2021. Mas por conta da covid-19, foi cancelado.

Ainda em 2019, o tema passou a ser um dos assuntos que aproximou o Brasil do governo de Donald Trump, além da Polônia e Hungria.

O tema religião é constante na pauta do governo Bolsonaro. Nesta terça-feira (05), o presidente Jair Bolsonaro participou do Simpósio Cidadania Cristã, ocorrido na Igreja Batista Central de Brasília. O evento foi organizado pela Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil, instituição evangélica presidida pelo bispo Robson Rodovalho, fundador da Sara Nossa Terra.

No evento, o ministro do Trabalho e da Previdência, Onyx Lorenzoni, enfatizou o compromisso do governo com a liberdade religiosa.

“Vamos pedir sabedoria para no ano que vem garantir a liberdade de culto, direito de propriedade garantido, que a liberdade exista e o nosso direito de ir, vir e falar esteja garantido. Isso depende de nós e tenho certeza que cada um dos que estão aqui será abençoado para que o Brasil nunca mais tenha a bandeira vermelha, porque a bandeira do nosso país é verde e amarela”.

Assembleia da ONU

Num discurso no Conselho de Direitos Humanos neste ano, a delegação brasileira garantiu que "se orgulha de sua cultura de tolerância religiosa, pluralismo e diálogo". Em seu discurso de abertura na Assembleia Geral da ONU, o presidente Jair Bolsonaro fez referências à tolerância religiosa.

"Temos a família tradicional como fundamento da civilização. E a liberdade do ser humano só se completa com a liberdade de culto e expressão", disse.

Em setembro, coube à Secretária Nacional da Família do ministério comandado por Damares Alves realizar uma turnê por vários países, participando de debates e reuniões com grupos religiosos. Ângela Gandra passou por países como Ucrânia, Portugal e Espanha.

*Imagem: Bispo Robson Rodovalho / Reprodução Instagram