Jornalista afirma que tráfico de drogas financia a esquerda Na noite dessa terça-feira o portal IG e o jornal O Dia publicaram uma entrevista com a jornalista Cristina Seguí, uma das mais proeminentes profissionais de mídia da Espanha. Em 2014 ela se filiou ao Vox, a força nova da direita espanhola. Mas permaneceu na militância política por pouco tempo – se desligado em dezembro daquele mesmo ano.

Hoje, Cristina Seguí atua em veículos de comunicação independentes e com forte presença nas mídias digitais, na entrevista ela se mostra uma grande conhecedora dos bastidores da política ibero-americana. Ela não poupa críticas aos líderes da esquerda na região, inclusive aos brasileiros Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. E um de seus temas preferidos são as denúncias de observadores sobre a influência financeira do narcotráfico em partidos de esquerda.

Cristina conta na entrevista como traçou um cenário, em que aponta não só o vínculo entre o narcotráfico e os partidos de esquerda da Península Ibérica e da América Latina como, também, a extensa rede que une os interesses da esquerda nos dois lados do Atlântico. Ela diz ainda ter sofrido ameaças por conta de suas denúncias.

A jornalista revela, “Cuba é o germe do mal em toda a América Latina”. Segundo ela, “a Venezuela e o Peru, na América do Sul, assim como Portugal e Espanha, na Europa, foram invadidos por assassinos cubanos e pelo Hezbollah. Todos eles se relacionam.”.

Cristina diz na entrevista que é em São Paulo que estão instaladas as principais bases de inteligência do Hezbollah, de Cuba, da Venezuela e do Marrocos.