França: comissão identifica cerca de 3 mil pedófilos na igreja católica nos últimos 70 anos Uma comissão independente que examina o abuso sexual na igreja na França acredita que 3.000 abusadores de crianças - dois terços deles padres - trabalharam na igreja nos últimos 70 anos.

A estimativa é do presidente da comissão, Jean-Marc Sauvé (foto), em entrevista publicada neste domingo (03) no jornal Journal du Dimanche. As investigações já duram dois anos e meio. Suas conclusões completas devem ser divulgadas amanhã (05).

Na entrevista, Sauvé não deu o número extado de vítimas de abuso sexual, mas disse que o relatório inclui uma nova estimativa.

Questionado sobre o trabalho da comissão de investigação de abusadores de crianças, ele disse: “Avaliamos o número deles em 3.000, de 115.000 padres e religiosos desde os anos 1950. Dois terços são padres diocesanos ”.

Ele disse que 22 casos foram encaminhados ao Ministério Público por supostos crimes que ainda podem ser investigados. Mais de 40 casos de supostos crimes que são muito antigos para serem processados, mas que envolvem suspeitos que ainda estão vivos, foram encaminhados para oficiais da Igreja, disse Sauvé.

“De 1950 a 1970, a Igreja é completamente indiferente às vítimas: elas não existem, o sofrimento infligido às crianças é ignorado”, disse ele segundo o jornal. “Os períodos que se seguiram foram diferentes.”

Ele acrescentou: “Nosso objetivo é fornecer um diagnóstico concreto de todos os abusos, identificar as causas e tirar todas as consequências”.