Sobrinho do Papa desmente imprensa argentina e diz que vítima de agressões foi seu cunhado, não ele

O sobrinho do Papa Francisco, José Bergoglio, corrigiu a informação divulgada pela imprensa argentina e disse que foi seu cunhado, Carlos David Muro, quem foi agredido durante um ataque à sede da ONG Haciendo Lío. Jornalistas argentinos haviam dito antes que José teria sido vítima de uma tentativa de homicídio.

Em entrevista ao "Primer Plano", José Bergoglio afirmou que ele "era o alvo do ataque", mas que no momento da invasão, os cinco agressores só encontraram Muro na instituição.

O ataque ocorreu no dia 3 de setembro, mas só agora ganhou repercussão. Cinco pessoas, com o rosto coberto e armadas com facas, entraram pelas janelas do local e atacaram o único integrante da organização que estava presente. Eles fizeram um corte em seu rosto, bateram nele e o jogaram escada abaixo até que ele conseguiu escapar.

Como especula a Justiça, o atentado teria origem na disputa por esses escritórios, já que são reivindicados pelo suposto proprietário do andar térreo do prédio.Segundo a investigação, a fundação conseguiu os escritórios localizados em Juan José Valle, graças a um contrato de empréstimo assinado com o proprietário do lugar, que é um amigo próximo de Bergoglio.

Vários inquilinos anteriores tiveram que sair devido às constantes ameaças do homem que deseja assumir o lugar. Agora, essas ameaças estão supostamente entrando em prática.


Siga-nos