Adolescente abre fogo em universidade da Rússia e deixa mortos

Pelo menos seis pessoas morreram hoje (20) em uma universidade russa, na cidade de Perm, a 1,3 mil quilômetros de Moscou, durante tiroteio praticado por um adolescente, que se acredita ser estudante da instituição. O autor do tiroteio foi detido pela polícia. Inicialmente, o Comitê de Investigação Russo divulgou que oito pessoas teriam sido mortas, mas revisou o número horas depois.

Além dos mortos, houve também vários feridos e alguns alunos saltaram pela janelas do edifício em pânico.

O presidente russo, Vladimir Putin, atribui as ações à influência dos Estados Unidos, com o efeito da globalização.

O uso e porte de armas na Rússia é rigoroso, mas esses atos são cada vez mais frequentes.

O atirador entrou no campus às 11h locais (3h de Brasília), de acordo com o serviço de comunicação da universidade.

Pelo menos 28 pessoas ficaram feridas — sendo 19 por tiros e outras na queda de janelas quando tentavam fugir do atirador — segundo a agência de notícias estatal TASS, citando o Ministério da Saúde. Nove ambulâncias foram enviadas para o local. 

O presidente Vladimir Putin foi avisado do tiroteio e lamentou as mortes. "O presidente expressa condolências sinceras aos que perderam familiares e entes queridos como resultado deste incidente", disse o porta-voz de Putin, Dmitry Peskov, a repórteres.