Polícia Civil faz operação contra quadrilha de agiotas Policiais civis cumprem hoje (16) 65 mandados de prisão preventiva, além de mandados de busca e apreensão, contra acusados de agiotagem e extorsão no Rio de Janeiro. A operação Ábaco está sendo realizada também em Santa Catarina, Ceará, Minas Gerais e Espírito Santo.

Segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro, esse é o maior grupo criminoso de agiotagem do estado. Até as 7h30 de hoje, 32 pessoas já tinham sido presas.

As investigações, iniciadas há quase um ano, revelaram que a organização criminosa cobrava juros abusivos, que muitas vezes superavam 30% ao mês, além de receber dívidas antigas que já tinham sido pagas. Segundo as investigações, a quadrilha extorquiu R$ 70 milhões das vítimas nos últimos quatro anos.

O grupo ainda praticava extorsão cobrando dívidas relativas a empréstimos que nunca existiram. De posse de dados das vítimas e de parentes delas, a quadrilha também fazia ameaças para provocar medo nas pessoas.

De acordo com a Polícia Civil, a organização criminosa chegou a manter 70 escritórios em várias cidades brasileiras.

O chefe do esquema, de acordo com a polícia, é Guilherme Andrade Aguiar, o Macarrão. Ele já estava preso, mas, mesmo dentro da cadeia, continuava dando ordens aos comparsas.

Os suspeitos vão responder por extorsão, organização criminosa, lavagem de dinheiro e crime contra a economia popular.