Pastor é obrigado a se casar com defunto da noiva morta durante aborto Um pastor foi forçado a se casar com o cadáver de sua noiva, que morreu após um aborto brutal que ele a obrigou a fazer.

O reverendo Dr. Success Emeka Sunday, líder de uma igreja na Nigéria, foi coagido pela família de Chioma Okoye a se casar com ela antes do funeral, depois que ele confessou o crime.

Segundo relatos da imprensa internacional, o pastor é muito popular no país africano e conhecido por fundar o Ministério de Oração para Transformação da Vida em Owerri. Ele não queria a criança devido às opiniões da igreja sobre os bebês nascidos fora do casamento.

Em fevereiro deste ano, ele teria convidado Okoye para ir a sua casa e colado drogas em sua bebida. Ele então levou sua noiva inconsciente para um hospital e forçou um médico a interromper a gravidez.

Houve complicações graves provocadas pelo procedimento que levaram Okoye a vomitar sangue. Ela foi então levada a um Centro Médico Federal.

Logo depois, sua família soube que ela estava extremamente doente. Mas a moça morreu tragicamente antes que eles pudessem fazer algo para ajuda-la.

A família só soube da terrível provação depois que os resultados da autópsia mostraram vestígios de uma droga sedativa no sistema de Okoye. O pastor confessou os atos após ser confrontado.

O casal namorou durante cinco anos e ficou noivo no ano passado.

De acordo com uma postagem no Facebook de Anita Nenyenwa Uzoije, uma amiga de Okoye, Sunday foi inicialmente preso, mas liberado com a condição de que continuaria com o casamento. Dizem que sua família o pressionou a se casar com ela antes que o corpo da jovem fosse enterrado.

Uzoije escreveu: “As igrejas ainda chamam este homem para vir, pregar e ministrar. Ele ainda é professor de teologia no Seminário Betel.

“Este homem está andando livremente como se nada tivesse acontecido, mas não vamos ficar quietos."

Ela também disse que Okoye era de uma família cristã de forte presença no país e que seus irmãos são pastores.