Furto de cabos de energia: projeto da Alerj amplia atribuições da delegacia de serviços delegados A Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD), vinculada à Polícia Civil, pode ter suas atribuições alteradas, incluindo a investigação sobre furtos de cabos de energia dos trens e metrôs. É o que prevê o projeto de lei 3.620/17, dos deputados Carlos Minc (PSB) e Martha Rocha (PDT), que será votado em discussão única pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), amanhã (02). O texto recebeu seis emendas.

A medida também incluiria a investigação sobre furtos envolvendo outros equipamentos das concessionárias de serviço público. Na justificativa do projeto, os deputados afirmam que o objetivo é combater de forma especializada o furto desses materiais. Eles citam a empresa SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A, que, desde 2011, foi vítima em 1.503 ocorrências desta modalidade de crime.

Prejuízos
Só nos últimos dois dias, a Supervia precisou suspender a operação em três oportunidades. São 862 viagens suspensas, apenas entre janeiro e julho deste ano. O motivo para as interrupções é sempre o mesmo: O furto de cabos e equipamentos.

Em cada paralisação, os passageiros ficam sem o transporte e demoram mais no trajeto entre a casa e o trabalho.

Só nos primeiros seis meses de 2021, a Supervia informou que deixou de transportar mais de 2 milhões de passageiros por conta das viagens canceladas ou interrompidas no caminho em função de furtos de cabos.