Jornalistas criticam Biden por fornecer ao Talibã lista de cidadãos americanos no Afeganistão O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, foi criticado nessa quinta-feira (26) por causa de um relatório que revelou que autoridades dos EUA forneceram ao Talibã uma lista de cidadãos americanos titulares de green card e aliados afegãos para permitir a entrada no perímetro externo do aeroporto de Cabul, onde terroristas suicidas realizaram um ataque que matou aos menos 13 militares dos EUA no início do dia.

"Funcionários dos EUA deram ao Talibã uma lista de nomes de cidadãos americanos, titulares de green card e aliados afegãos para permitir a entrada no perímetro externo do aeroporto da cidade, provocando indignação nos bastidores de legisladores e oficiais militares", tuitou Lara, correspondente do Pentágono do Político Seligman.

O general dos fuzileiros navais Kenneth F. McKenzie Jr., comandante do Comando Central dos EUA, confirmou em uma coletiva de imprensa que os Estados Unidos "continuarão a coordenar" com o Talibã para fornecer passagem segura para o aeroporto de Cabul , e que os militares dos EUA vinha compartilhando "informações" com o grupo terrorista para ajudar a prevenir tais ataques.

Vários jornalista recorreram às redes sociais para expressar sua total surpresa com a estratégia do governo Biden para resgatar cidadãos americanos e aliados presos na região.

"O que?" A correspondente da CNN, Mary Katherine Ham, escreveu em resposta ao tweet de Seligman.

"Isso é ... uau", disse o escritor do Free Beacon, Adam Kredo.

"O Pentágono acabou de dizer que espera que os ataques do ISIS continuem e está contando com a ajuda do Talibã para nos proteger. O Talibã deveria nos proteger?!" Clay Travis da Outkick.com disse. "Isto é loucura."