Mãe de bebê que sobreviveu a ataque antifa durante reunião de oração cobra divulgação da imprensa

Uma mãe cristã de oito filhos, cujo bebê quase ficou ferido quando a Antifa jogou uma bomba em sua direção, passou a se manifestar contra a omissão da imprensa em cobrir a violência perpetrada pelo grupo de extrema esquerda em Portland, nos Estados Unidos  .

Se não fosse pela intervenção de um amigo, a filha de Jamee Anatello de 8 meses poderia ter sofrido ferimentos graves durante uma reunião de oração em Portland, Oregon, no dia 7 de agosto. A amiga de Anatello colocou o braço na frente do rosto do bebê. Ela acabou sofrendo hematomas, além de queimaduras no braço, mãos e pés.

“Nunca me passou pela cabeça que este seria um evento ao qual eles (Antifa) compareceriam”, disse Anatello ao jornal Christian Post.

A mãe lamentou o desinteresse da mídia local por sua história. Descrevendo a Antifa como "perigosa" e enfatizando que "eles precisam ser parados".

Anatello disse que a mídia local optou por focar na suposta presença dos Proud Boys - um grupo frequentemente rotulado pelos críticos como uma organização de supremacia branca, embora sejam menos branco do que Antifa e liderado por um afro-cubano - num evento dias seguintes ao ataque. 

“Eu acredito que a razão pela qual eles não pegaram minha história é porque a narrativa por aqui é que os Proud Boys são os supremacistas brancos quando não o são. E as pessoas por aqui se recusam a chamar Antifa de perigosa. ”


Siga-nos