CNJ faz inspeção em gabinetes de desembargadores do TJRJ

Uma portaria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) autorizou a realização de uma inspeção nos gabinetes de sete desembargadores e de uma juíza do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ). A medida foi assinada na sexta-feira (20). 

A correição foi autorizada após os magistrados terem sido citados em matérias jornalísticas sobre um suposto esquema de corrupção na Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Rio (Fetranspor). A fiscalização será feita por um desembargador e três juízes de outros tribunais designados pela corregedora.

Os trabalhos do CNJ começaram ontem (23) e se estendem até o fim desta terça-feira (24). 

Em nota, o TJRJ declarou que o processo corre em segredo de justiça e que não irá se manifestar sobre o assunto.

Em abril de 2020, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou o afastamento por 90 dias do desembargador Mário Guimarães Neto, alvo da Operação "Voto Vencido". O desembargador foi acusado na delação premiada de Teixeira de ter recebido R$ 6 milhões, por meio de sua mulher, para atuar em um processo de interesse da Fetranspor.

Em dezembro de 2019, o CNJ já havia afastado cautelarmente o desembargador Guaraci de Campos Vianna sob a suspeita de que o magistrado teria dado liminares que fogem das hipóteses legais e regimentais previstas durante os plantões judiciais.