Município do Rio adia vacinação de adolescentes A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do Rio de Janeiro informou que não iniciará a vacinação de adolescentes com 17 anos nesta segunda-feira (23) conforme o cronograma de imunização contra a covid-19 que vinha sendo anunciado. Em uma postagem nas redes sociais, a pasta disse que o avanço do atendimento das faixas etárias dependerá da chegada de novas remessas de doses. O calendário havia sido divulgado, contrariando orientação do Ministério da Saúde para que o início da vacinação de adolescentes ocorra apenas quando todos os adultos estiverem imunizados em todo o país. A proposta é permitir que todos os estados avancem juntos na vacinação.

Com o adiamento do início do atendimento de adolescentes, hoje será feita uma repescagem para pessoas com 25 anos ou mais que ainda não vacinaram. Também poderão ser atendidos adolescentes com deficiência, além de gestantes, puérperas e lactantes com 12 anos ou mais. A aplicação da segunda dose conforme prevista no cartão de vacina de cada um continua normalmente.

Na sexta-feira (20), a SMS divulgou uma nota em seu site afirmando não ter ciência de quando o Ministério da Saúde enviaria mais vacinas. Por esta razão, a pasta suspendeu a repescagem para a faixa etária entre 20 a 29 anos que estava prevista para acontecer ontem (21).

"A Secretaria Municipal de Saúde reitera a importância de o Ministério da Saúde distribuir as doses recebidas no prazo máximo de 24/48 horas, para que não haja comprometimento dos calendários de vacinação dos municípios brasileiros", registra a nota divulgada.

Segundo divulgado em seu site, o Ministério da Saúde distribuiu mais 7,3 milhões de doses em todo o Brasil. Os estados e o Distrito Federal receberam as remessas entre quinta-feira (19) e ontem (21). "Nesta distribuição, são enviadas 4 milhões de doses da Coronavac e 3,3 milhões de doses da Pfizer/BioNTech. Esta é a sétima distribuição de vacinas realizada pela Pasta desde 3 de agosto, totalizando mais de 39,3 milhões de doses distribuídas para todo o País", informa a pasta.

De acordo com o Ministério da Saúde, a divisão dos imunizantes está sendo realizada de forma a garantir que todas as unidades da federação completem os esquemas vacinais de forma equânime. "Os estados receberam doses de acordo com a população acima de 18 anos que ainda não foi vacinada. O objetivo é equiparar a campanha em todo o país, para que todos os estados avancem juntos na imunização", diz a pasta.