Operação da PF mira Sérgio Reis e Otoni de Paula O deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) e o cantor Sérgio Reis são alvos de mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, nesta sexta-feira (20). Ao todo, 29 mandados foram autorizados pelo ministro Alexandre de Moraes e atendem a um pedido da Procuradoria-Geral da República, que apura manifestações contra o STF.

Agentes da Polícia Federal foram ao menos a quatro endereços no Rio e em Brasília ligados ao cantor, na casa e no gabinete do deputado.

Eles são acusados de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos contra a democracia, o estado de direito e suas instituições, bem como contra os membros dos poderes. Nas redes sociais, a população tem chamado estas ações do STF de ditadura.

No início da semana, 29 subprocuradores-gerais da República assinaram uma representação contra o cantor após áudios em que ele faz duras críticas ao STF circularem nas redes sociais. O artista também é alvo de um inquérito da Policia Civil do Distrito Federal. 

Sérgio Reis disse que não tem medo de ser preso.

“Se não fizer uma paralisação, não muda este país. Não sou frouxo. Não sou mulher. Cadeia é para homem. Eu não saí daqui de casa. Estou aqui em casa quietinho. Se a Federal vier me buscar, eu vou. Não matei ninguém. Não prejudiquei ninguém. Nunca falei mal de nenhum ministro", afirmou.

Otoni de Paula já havia sido denunciado pela PGR em 2020 pelos crimes de difamação, injúria e coação. Isso porque em junho e julho daquele ano o deputado fez transmissões ao vivo pela internet com duras críticas contra a reputação do ministro Alexandre de Moraes.

Siga-nos