Igreja realiza ação social com caminhoneiros O projeto Guardiões da Estrada é um dos quatro lançados em 2018 pela Igreja Universal do Reino de Deus, que expande sua atuação em situações de vulnerabilidade social e ocupa espaços onde o poder público não chega.

São 257 mil voluntários no país, segundo dados da Universal, oferecendo desde cursos e orientação jurídica ou psicológica aos mais variados serviços, como corte de cabelo, manicure e até aula de alongamento, sempre seguidos por oração.

O Guardiões da Estrada é o mais recente projeto, em 2018 por ocasião da paralisação dos caminhoneiros. "A greve nos despertou. Esses profissionais sofrem com a falta de carga, estradas com buracos, assaltos, problemas de coluna, preocupação com problemas financeiros, com a família. Muitos têm depressão", afirmou o pastor Rondineli Pedro da Silva, 38, responsável pela ação no terminal Fernando Dias, realizada em uma noite fria de maio naquele ano.

Os outros programas criados em 2018 foram o EVG Night, voltado a prostitutas e travestis, o Grupo Saúde, para familiares de pacientes de hospitais públicos, e o Universal nas Forças Policiais, que atende profissionais da Polícia Militar, Civil, Federal, Rodoviária, Corpo de Bombeiros, agentes penitenciais e Forças Armadas.

Ao todo, segundo a igreja, são 15 projetos, que, em 2018 atenderam perto de 11 milhões de pessoas de várias regiões do Brasil. No exterior, afirma ter atuado em 92 países, dez a mais do que em 2017, e beneficiado 3 milhões, com a participação de quase 63 mil voluntários.

De acordo com os números divulgados, dentre os quatro novos projetos, o que contou com a maior quantidade de voluntários foi o Grupo Saúde, quase 24 mil, que atenderam mais de 750 mil pessoas.

Esse foi o mais próximo do alcance do Universal nos presídios, um dos mais antigos e abrangentes programas da Universal, que, no ano passado, teve 27 mil fiéis dando assistência a 1,6 milhão de presidiários e seus familiares.

Para a população em situação de rua, a Universal tem o Anjos da Madrugada, também um de seus maiores projetos, com 1 milhão de atendidos no país em 2018, por 23.500 voluntários.