Domingo é Dia de Oração pela Índia

A Índia comemorou o seu Dia da Independência nesta quinta-feira (15). E no domingo (18) várias igrejas cristãs do país participarão do Dia Nacional de Oração. É a terceira vez que a Irmandade Evangélica da Índia (EFI) organiza o evento em favor principalmente da luta contra a perseguição religiosa nesse país de maioria hindu. “O estado de nossa nação e os desafios que ela enfrenta, nos levam a olhar para o rosto do Deus Todo Poderoso e orar por Suas incessantes bênçãos sobre a Índia”, disse o Rev. Vijayesh Lal, Secretário Geral da EFI. O dia de oração acontece em um momento de grande ansiedade em relação ao futuro da Caxemira, uma área disputada na fronteira da Índia com o Paquistão e a China. No início deste mês, o governo da Índia cancelou o status de proteção da Caxemira. O governo liderado pelo BJP, com uma agenda hindu-nacionalista, revogou o artigo na constituição que trata da autonomia da Caxemira, colocando o Estado em situação de bloqueio e deixando o povo da Caxemira em grande incerteza sobre seu futuro – e sobre o futuro dos cristãos do estado. Segundo Matthew Rees, diretor de advocacia da organização Portas Abertas no Reino Unido, essa situação gera tensão não somente aos indianos, como aos cristãos que vivem na Caxemira. Fontes na Caxemira disseram à Portas Abertas que eles estão preocupados que esta decisão do governo faça aumentar os níveis já altos de medo entre as comunidades cristãs na Caxemira. Enquanto isso, relatos da mídia sugerem que o governo indiano está considerando propor um projeto de lei anticonversão perante o parlamento, com o objetivo de impedir qualquer tipo de conversão religiosa nacionalmente. A constituição da Índia garante a liberdade de religião e para que o projeto seja aprovado, uma maioria de dois terços no parlamento é necessária. No entanto, oito dos estados indianos já têm essa lei em vigor e tem sido usado para marginalizar as comunidades religiosas. A violência contra os cristãos nesses estados é extremamente maior do que nos estados sem um projeto de lei anticonversão, segundo relatórios da Portas Abertas. No ano passado, mais de 30 mil igrejas locais se uniram em oração pelo país, por seus líderes e cidadãos. Em resposta à crescente onda de perseguição extremista, a Portas Abertas lança esta campanha global para que a igreja indiana seja apoiada e permaneça viva.