Escolas da Escócia têm guia prático para alunos trans

O governo escocês publicou novas orientações para escolas sobre o apoio a alunos transgêneros.

A secretária de Educação, Shirley-Anne Somerville, disse que o recurso garantiria que os jovens trans se sentissem “seguros, respeitados e incluídos”.

O documento de 70 páginas diz “promover as melhores práticas para apoiar alunos trans e não binários”, mas também destaca “a importância particular da privacidade e da provisão de espaços seguros para meninas e meninos nas escolas”.

A orientação não é obrigatória e foi elaborada para ajudar as autoridades educacionais e as escolas a tomarem as melhores decisões quando se trata de alunos trans.

Um ex-funcionário público disse que a orientação governamental deve ser retirada porque inclui dados “irresponsáveis” e “incrivelmente incorretos” sobre suicídio.

Um estudo que sugere que 57% dos jovens trans com pais que não o apoiam tentaram tirar a própria vida foi examinado. O número foi baseado em uma pesquisa realizada pela Children’s Aid Society de Toronto e Delisle Youth Services em 2012.

O documento escocês incentiva os professores a usar o nome e os pronomes preferidos de jovens trans quando estiverem na escola, que podem ser atualizados nos registros escolares.

As escolas também devem considerar o fornecimento de espaços de gênero neutro para alunos que não se sintam confortáveis ​​em usar banheiros ou vestiários do mesmo sexo, embora isso destaque que nem todos os banheiros devem se tornar neutros em relação ao gênero.

A orientação também incentiva as escolas a permitirem que jovens trans usem roupas que combinem com sua identidade de gênero e participem de educação física com o grupo de sua preferência.