Perseguição religiosa deve aumentar no Afeganistão com retorno do Talibã, afirma organização

Os cristãos estão sendo incentivados a orar pelas pessoas no Afeganistão depois da retomada do poder no país pelo grupo extremista islâmico Talibã. Segundo a instituição cristã de caridade ‘International Release’, a perseguição deve aumentar.

Desde que o Talibã afirmou que retomaria o controle da capital do Afeganistão, Cabul, milhares de pessoas no país se direcionaram para o aeroporto internacional da cidade, em uma tentativa desesperada de deixar o país. Para Andrew Boyd, da International Release, a situação dos cristãos na nação do Oriente Médio já não era boa e tende a piorar:

"Mesmo antes de o Talibã chegar ao poder no Afeganistão, o país tem subido na classificação dos países mais difíceis do mundo para ser um cristão. Então, se você tentar mudar sua fé de muçulmano para cristão no Afeganistão, isso é apostasia. Você pode ser condenado à morte ou preso por fazer isso", analisou Andrew.

Ainda segundo a organização, um contato teria descrito a situação como “terrível”:

"Nossos irmãos e irmãs em Cristo estão nos dizendo o quanto eles têm medo. Nas áreas que o Talibã agora controla, as meninas não podem ir à escola e as mulheres não podem deixar suas casas sem um companheiro."

O Talibã se comprometeu a impedir o que eles consideram a “ocidentalização das mulheres”, tendo sido os responsáveis pelo atentado a Malala Yousafzai, que tinha 15 anos em 2012, e sofreu uma tentativa de homicídio por ir à escola e contar ao mundo sobre isso em um blog.

Para Andrew Boyd, a única forma de a igreja continuar no Afeganistão será de forma clandestina, sob risco de perseguição. Ele pede, também, que as grandes nações trabalhem pela liberdade religiosa nas mesas de negociações internacionais.


Siga-nos