Bispo Renato Suhett chegou a ficar 18 dias intubado antes de morrer devido à Covid-19

Foi em 20 de julho que o bispo e cantor Renato Suhett publicou que havia “acabado de testar positivo para Covid-19 e que já estava internado. Na postagem com duas fotos no hospital, ele pedia orações.  Mas no último sábado (07) veio a notícia sobre seu falecimento, após 18 dias intubado em um hospital em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Suhett tinha 60 anos.

Evangelista, conferencista e também escritor foi bispo da Igreja Universal do Reino de Deus entre as décadas de 1980 e 1990, chegando a ser considerado braço direito do bispo Edir Macedo.

Como cantor, Renato Suhett foi um dos fundadores da gravadora Line Record’s, onde lançou sucessos como “Tantos Caminhos” e “Quando Te Encontrei”. Seus CDs chegaram a vender mais de 3 milhões de cópias.

O ex-prefeito do Rio de Janeiro e bispo da Universal, Marcelo Crivella, usou suas redes sociais para lamentar a morte do amigo.
“Hoje há em cada coração uma saudade e em cada olhar uma lágrima em todos que conheceram nosso irmão Renato Suhett, que ontem partiu para os braços do Pai. Que Deus console sua família em especial sua esposa (Diana Suhett), neste momento de tristeza e dor”, disse Crivella.

Padre

Após deixar a Universal, Suhett passou a exercer seu ministério como Padre e Reverendo na Igreja Católica Apostólica Carismática, Paróquia do Bom Jesus, de linha Vetero Católica (Igreja Católica Antiga, não ligada diretamente à Roma, com exceção da infalibilidade papal e do celibatarismo facultativo, ou seja o padre pode ou não ser casado). Esta igreja não é submissa ao Papa.