Marinha descarta ligação entre desfile de blindados e PEC do Voto Impresso

A Marinha divulgou uma nota, na noite desta segunda-feira (9), dizendo que a ida de veículos blindados dos militares a Brasília, sob a justificativa de entregar um convite ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Defesa, Braga Netto, a um treinamento, não tem relação com a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso auditável, na Câmara dos Deputados. A votação está prevista para hoje no plenário da Casa. 

"Cabe destacar que essa entrega simbólica foi planejada antes da agenda para a votação da PEC 135/2019 no Plenário da Câmara dos Deputados, não possuindo relação com a mesma, ou qualquer outro ato em curso nos Poderes da República", informou a Marinha. A instituição anunciou que, a caminho para um treinamento anual em Formosa (GO), vai passar em Brasília nesta terça-feira (10) em veículos blindados e com armamento, sob a justificativa de que irá levar um convite ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Defesa, Braga Netto para que assistam ao exercício militar no próximo dia 16 (começou no último dia 2 e vai até o dia 18).

O treinamento ocorre todos os anos, desde 1988, mas, pela primeira vez, será em conjunto com o Exército e a Força Aérea Brasileira (FAB). Também é a primeira vez que os militares vão em veículos blindados fazer o convite, o que eles chamam de ato "promocional" ou simbólico. A questão, entretanto, gerou ampla repercussão, em especial entre parlamentares, que apontaram que a ação seria uma tentativa de intimidação por parte de Bolsonaro, devido à iminência de derrota da PEC na Câmara.

A Marinha afirmou que a entrega foi "planejada para contemplar um comboio composto por algumas das principais viaturas". No total, a operação tem 150 viaturas, e desse comboio, 14 ficarão em exposição em frente ao prédio da Marinha, na Esplanada dos Ministérios. "Os eventos buscam valorizar e apresentar, à sociedade brasileira, o aprestamento dos meios operativos da nossa Marinha", pontuou em nota. A viaturas saíram do Rio de Janeiro no dia 8 de julho.