Padre Júlio Lancellotti  rebate Janaina Paschoal sobre distribuição de alimentos na Cracolândia

Após ser duramente criticada nas redes sociais por dizer que "a distribuição de alimentos na Cracolândia só ajuda o crime", a deputada estadual de São Paulo Janaina Paschoal voltou a falar sobre o assunto, dizendo que estava "propondo uma reflexão" sobre a situação da Cracolândia.

No sábado (07), o comentário da parlamentar sobre uma notícia a respeito da doação de marmitas promovidas pela Pastoral do Povo da Rua na região central da cidade de São Paulo, foi entendido por internautas como uma sugestão para que os usuários de drogas que vivem no local passem fome.

"Há anos, todos reclamam da Cracolândia, mas ninguém tem coragem de olhar para as ações que findam por colaborar que aquela região siga assim. Alimentar no vício só estimula o ciclo vicioso! Peço que pensem a respeito!", disse a deputada.

O padre Júlio Lancellotti respondeu aos comentários da deputada Janaina Paschoal. 

"Alimentar aquelas pessoas na Cracolândia é uma questão humanitária. Não seria matá-los de fome que resolveria o problema".

Janaina levantou outra questão: "Se você tivesse um parente se matando com drogas na Cracolândia, o que preferiria, alguém que o alimentasse ali, possibilitando sua permanência no vício? Ou alguém que estimulasse a sair daquela situação?".

O padre explicou que, além de ser uma questão humanitária, a partilha de alimentos tem um outro objetivo: "estabelecer vínculos com os usuários". "O alimento não é o fim. É a forma de estar próximos e buscar saídas", explicou ele ao UOL.

"Amar não é dizer para eles que estão certos. É caminhar com eles na busca da transformação", disse.

 


Siga-nos