Brasil faz sua melhor participação na história das Olimpíadas

Os Jogos de Tóquio chegam ao fim e deixarão na história do esporte brasileiro a marca da superação, individuais e sobretudo coletiva. O Time Brasil fez sua melhor Olimpíada de todos os tempos. Os recordes de ouros e de medalhas levaram o Brasil ao 12º lugar no quadro de classificação das Olimpíadas de 2020, a melhor posição da história, uma acima do 13º conquistado no Rio, em 2016.

Nossos atletas alcançaram marca recorde de sete ouros – a mesma de cinco anos atrás – e conquistaram seis pratas e oito bronzes. O total de 21 medalhas em uma só edição também é um recorde entre as participações brasileiras em Olimpíadas.

O Brasil empatou com Canadá e Nova Zelândia em número de ouros e pratas. A delegação canadense assegurou o 11º lugar por ter 11 bronzes. Os neozelandeses ficaram em 13º, com sete bronzes, um a menos que o conjunto brasileiro. Cuba também conquistou sete ouros, mas ficou em 14º, com três pratas e cinco bronzes.

Neste domingo, último dia de competições e encerramento dos Jogos, o Brasil ainda deixou escapar dois ouros. No vôlei feminino, nossas meninas perderam por 3 sets a 0 para os Estados Unidos e fecharam a participação com a medalha de prata. No boxe, Beatriz Ferreira subiu no ringue para lutar pelo ouro na categoria peso leve (até 60 kg). Campeã mundial em 2019, ela não conseguiu repetir o feito nas Olimpíadas. O ouro ficou com a irlandesa Kellie Harrington. E Bia volta para casa com a prata.

Bolsa Atleta


Em Tóquio, a lista de contemplados pelo programa Bolsa Atleta, executado pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, reuniu 242 nomes, 80% dos 302 inscritos pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB). 

Em 19 das 35 modalidades em que o país teve representantes, 100% dos atletas fazem parte do programa que ajuda nos treinos, equipamentos, viagens e competições.

A lista de contemplados pelo Bolsa Atleta em Tóquio incluiu 88 atletas da categoria mais alta, a Pódio, voltada para esportistas que se destacam entre os 20 melhores do ranking mundial de suas modalidades e que prevê repasses mensais que variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil. Outros 62 pertencem à categoria olímpica, destinada a quem já participou de alguma edição dos Jogos e segue com resultados expressivos. Há, ainda, 69 da categoria Internacional e 23 da Nacional. 

Em 2021, o Governo divulgou a lista de contemplados com o Bolsa Atleta com 7.471 nomes diretamente patrocinados, a maior da história, garantidos por uma previsão orçamentária da Secretaria Especial do Esporte de R$ 145 milhões, de acordo com o Ministério da Cidadania. 

Os atletas interessados em concorrer a bolsa devem verificar se atendem a todos os pré-requisitos determinados em Lei para a sua categoria de Bolsa-Atleta. Confira AQUI. Quem sabe você não estará nas próximas Olimpíadas?!