Escritor ironiza identidade de gênero: “Da última vez que chequei, elefantes não eram pássaros”

O escritor cristão estadunidense Bob DeMoss, autor de cinco livros bestsellers pelo jornal New York Times, ironizou a discussão sobre a identidade de gênero, chamando a situação de “insanidade”.

“Da última vez que chequei, elefantes não eram pássaros”, afirmou Bob, fazendo referência ao livro infantil de mesmo nome escrito pela autora conservadora Ashley St. Clair, com intuito de desfazer a confusão causada na cabeça dos pequenos. A publicação só está disponível na língua inglesa, e não há previsão de tradução para o português.

O autor também criticou o fato de defensores da agenda LGBT serem contra o uso de termos como “pai” e mãe”, por eles implicarem que apenas mulheres podem gerar uma criança – mesmo que isso seja verdade – além de substituir “mulheres grávidas” por “pessoas que dão à luz”:

“Da noite para o dia, a ‘polícia da lacração’ decidiu que falas como ‘mulheres grávidas’ são ‘transfóbicas’, porque simplesmente implicam que somente mulheres podem dar à luz uma criança, o que ofende pessoas transgênero” – desabafou Bob.

O autor lembrou também, como alertou o jornal Daily Mail, do Reino Unido, que até mesmo professores de grandes faculdades de medicina dos Estados Unidos estão sofrendo pressão de alunos a se desculpar por ‘usar termos transfóbicos’ e adotar linguagem neutra. "Insanidade", classificou Bob.