Bruno Fratus é o terceiro mais veloz das piscinas de Tóquio Na competição mais veloz da natação, o Brasil ficou entre os três melhores nas Olimpíadas de Tóquio. Com o tempo de 21s57, Bruno Fratus obteve a medalha de bronze nos 50m livre e se sagrou o nono nadador do país a subir ao pódio do megaevento em esportes individuais. Ele ficou atrás do Caeleb Dressel, que anotou 21s07, novo recorde olímpico, e de Florent Manaudou, da França, que anotou 21s55 - nas semifinais, ele havia sido o terceiro mais rápido na classificação.

Mais do que isso, ele reafirmou a tradição do país em provas de velocidade (que abrangem os 50m livre e os 100m livre) nos Jogos. Uma história que começou com Manoel dos Santos (bronze nos 100m livre em Roma 1960), passou por Gustavo Borges (duas medalhas, uma prata e um bronze, nos 100m livre) e Fernando Scherer (bronze nos 50m livre) e tivera seu capítulo até então final em Cesar Cielo (ouro e bronze nos 50m livre e bronze nos 100m livre).

Nascido em Macaé/RJ e criado no Rio Grande do Norte, Fratus despontou no cenário da natação brasileira no início da década passada, quando venceu em 2011 uma final dos 100m livre no Troféu Maria Lenk, principal campeonato nacional, que tinha Cesar Cielo no páreo. Naquele mesmo ano ele ganhou território em nível internacional, mas na prova que o colocaria de vez no mapa dos grandes atletas do país: os 50m livre.

Em meio aos pódios consecutivos em Mundiais, Fratus chegou candidato às Olimpíadas do Rio. Mas um problema na região lombar agravado meses antes o afetou e ele ficou em sexto na decisão.

Agora em Tóquio, ele se iguala a Fernando Scherer (bronze em Atlanta 1996) e Cielo (ouro em 2008 e bronze em 2012) como os nadadores mais rápidos na natação brasileira.


(Foto: Jonne Roriz/COB/Reprodução Twitter)

Siga-nos