Igreja afasta padre após batismo violento

O momento em que uma mãe se assusta durante o batismo do filho em uma igreja de São Petersburgo, na Rússia, se tornou viral e chamou a atenção nas redes sociais.



Nas imagens, Anastasia Alexeeva, de 24 anos, pode ser ouvida gritando enquanto o ortodoxo russo Fotiy Necheporenko mergulha seu bebê em água benta repetidas vezes.



“Ele fez tudo para machucar a criança. Ele viu que ele era grande, que não era possível mergulhá-lo em uma fonte tão pequena. Ele deveria ter espirrado a água em sua cabeça. Mas ainda assim ele decidiu fazer do jeito dele. O pequenino estava chorando e se contorcendo. Eu estava com medo, corri para ele. Eu tentei levar a criança embora e quase peguei fogo porque meu lenço tocou as velas em volta da fonte”, contou a mãe sobre incidente que virou caso de polícia.



O padre se defendeu das acusações mais tarde, dizendo que a mãe da criança não conhecia a religião e que aquele era um procedimento normal.



“Então o que realmente aconteceu? Nada, e não é minha culpa. Era tudo sobre as emoções alteradas da mãe. Ela é uma pessoa sem experiência na igreja. Ela não estava pronta para batizar”, argumentou.



No entanto, a igreja disse que o batismo foi "violento" e suspendeu o padre Necheporenko por um ano. Alexeeva o denunciou formalmente e uma investigação foi iniciada.