Simone Biles recebe apoio de Justin Bieber após abandonar Olimpíadas Mais uma vez, o cuidado com a saúde mental se destaca: hoje, tivemos um acontecimento marcante nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A ginasta Simone Biles desistiu de disputar a final individual que está marcada para amanhã, 29.


"Eu realmente sinto que às vezes tenho o peso do mundo sobre meus ombros. Eu sei que eu ignoro e faço parecer que a pressão não me afeta, mas às vezes é difícil", desabafou Biles em seu Instagram.

Tão almejada e tão sonhada, a medalha olímpica traduz a consagração de um atleta após uma vida regada a desafios e treinamentos. De quatro em quatro anos, é a oportunidade ideal para se firmar entre os maiores nomes do esporte mundial, daí a importância absoluta destes momentos em sua carreira.
 
Há situações em que as coisas não saem como planejado e o trabalho de toda uma vida pode ir por água abaixo. Como é o caso de Simone Biles. A decisão foi após uma avaliação médica em que a atleta optou por cuidar do seu bem-estar emocional. A equipe de ginástica dos Estados Unidos confirmou a decisão pelas redes sociais e disse apoiar a atleta. Já a tenista japonesa número 2 do mundo, Naomi Osaka, se despediu do torneio após perder para a número 42 do ranking ainda nas oitavas de final; ela, que teve a honra de acender a pira olímpica, passou um período de depressão que afetou seu desempenho.
 
Mas o que leva os atletas a passarem por isso? Segundo o PhD, neurocientista, neuropsicólogo e biólogo Fabiano de Abreu, "a questão pode estar relacionada à própria pandemia. A incerteza de se e quando iria acontecer os Jogos já causa desordem. A ansiedade não é apenas uma pendência de resolução. Mas também uma pendência sob a incerteza. Mudar a rotina já causa pendência".
 
Abreu acrescenta que os atletas possuem uma rotina e são doutrinados sob metas. "Há uma organização e esta, por sua vez, conduz o psicológico. Isso porque adaptamos à mente a competição, a preparamos e assim regulamos à emoção mediante à razão". Além disso, "a internet por sua vez é um péssimo hábito que promove a disfunção, prejudicando a saúde mental. Se esses atletas estão usando a internet, então estão adicionando obstáculos já que é extremamente necessária a homeostase para as competições", completa.
 
Além de tudo isso, é preciso levar em conta outro agravante que, Fabiano explica, está relacionado inclusive "a questão emocional de todos, inclusive os envolvidos com os atletas. Como um comboio afetado emocionalmente que contagia a todos. Uma atmosfera pesada que, com a pressão, não são todos que conseguem superar", completa.

Nas redes sociais, Biles recebeu o apoio de diversas celebridades. Entre elas o cantor canadense Justin Bieber, que fez até uma referência à Bíblia.

“Ninguém jamais entenderá as pressões que você enfrenta! Eu sei que não nos conhecemos, mas estou muito orgulhoso da sua decisão de se retirar. É tão simples quanto: ‘o que significa ganhar o mundo inteiro, mas perder sua alma’. Às vezes, nossos ‘não’ são mais poderosos do que nossos ‘sim’. Quando o que você normalmente ama começa a roubar sua alegria, é importante dar um passo para trás para avaliar o porquê”, disse.

Bieber passou a comparar a retirada de Biles à sua decisão em julho de 2017 de cancelar sua Purpose World Tourpara se concentrar em sua saúde mental. “Aprendi que quanto mais você aprecia seu chamado, mais deseja protegê-lo”, escreveu ele na época. “Aproveitando esse momento agora estou dizendo que quero ser SUSTENTÁVEL... para que eu possa ser o homem que quero ser, o marido que eventualmente quero ser e o pai que quero ser.”

Em sua nova mensagem para Biles, Bieber escreveu: "As pessoas pensaram que eu estava louco por não terminar a turnê de propósito, mas foi a melhor coisa que eu poderia ter feito para minha saúde mental!! Tão orgulhoso de vocês @simonebiles."




Siga-nos