Igreja na França celebra primeiro casamento de pastoras lésbicas

A Igreja Protestante Unida da França (EPUdF) celebrou o primeiro casamento de pastoras lésbicas, autorizado a partir do sínodo de 2015 que abre a possibilidade de abençoar casais do mesmo sexo. A informação foi repassada pelo pastor Jean-François Breyne à agência de notícias AFP.

Essa é a primeira união de um casal de pastores do mesmo sexo na denominação do país. 

Sem menções à Bíblia, o pastor se mostrou feliz com o que chamou de “avanço”.

"Vamos pouco a pouco, há uma dimensão simbólica importante", explicou à AFP o pastor Jean-François Breyne, que no sábado presidiu o ofício no templo protestante de Maguelone, em Montpellier (sul).

Emeline Daudé, 33 anos, e Agnès Kauffmann, 31 anos, foram as primeiras pastoras lésbicas a dizer o "sim" desde que a denominação decidiu ampliar suas possibilidades.

"Ainda é um tema sensível", confirmou Daniel Cassou, pastor e responsável de Comunicação da Igreja Protestante Unida da França.

Ainda assim, a decisão estabelece que a bênção não é "nem um direito nem uma obrigação" e que "não se impõe a nenhum templo e nenhum pastor".

A Palavra de Deus tem algumas referências que nos alertam sobre práticas homossexuais. 

"Foi por isso que Deus se afastou deles e os deixou entregues a paixões infames. Até as mulheres mudaram o uso natural que Deus destinou ao seu corpo e entregaram-se a práticas sexuais entre si mesmas. 27 E os homens, deixando as relações sexuais normais com mulheres, inflamaram-se em paixões sensuais, homens com homens, recebendo em si mesmos o devido castigo pela sua perversão.' (Romanos 1.26-27)

"Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante." (Levítico 18.22)

"Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos..." (1Coríntios 6.9)


Siga-nos