Dia dos Avós: entenda como fica o vínculo entre avós e netos durante o distanciamento social A presença dos avós na vida de seus netos é uma constante em muitas famílias da nossa sociedade e tal participação pode contribuir para o desenvolvimento emocional das crianças.

Segundo a psicóloga da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo Natália Reis Morandi, a relação construída entre eles é extremamente benéfica e tem impacto positivo na vida de ambos.

“O relacionamento de avós e netos vai além de sentimentos de respeito, amor e admiração. Muitos netos enxergam em seus avós figuras de apoio, segurança, carinho, atenção e conhecimento”, explica a especialista.

Estudos realizados pela Boston College (EUA) também indicam que a convivência constante entre avós e netos beneficia a saúde mental e emocional dos idosos.

“Com relação aos avós idosos, os estudos indicam que cuidar dos netos os ajudam a manter a mente saudável, auxilia na prevenção de sentimentos de solidão e sofrimentos emocionais significativos”, ressalta Natália.

Além disso, pesquisas divulgadas pelo US News & World Report apontam que o contato dos idosos com as crianças pode trazer benefícios em doenças neurológicas, como Alzheimer, uma vez que essa relação e os cuidados estabelecidos faz os idosos se sentirem mais ativos, úteis e saudáveis, despertando um sentimento de satisfação.

“Os avós também aprendem muito com as crianças, pois utilizam diversos recursos emocionais e cognitivos ao proporcionar os cuidados, interagir e brincar com os netos”, reitera.

Tecnologia
A pandemia de Covid-19 impôs um cenário restritivo às famílias e suas relações. Medidas de isolamento e distanciamento social foram necessárias para evitar a disseminação da doença. Com isso, os avós se viram distantes fisicamente de seus netos, o que gerou um impacto significativo na vida deles.

Segundo Natália, para que o impacto não fosse tão sentido por ambos, a tecnologia foi um fator importante para o fortalecimento desta relação, pois exerceu um papel fundamental ao aproximar pessoas nos momentos de distanciamento social, uniu parentes e amigos para minimizar o isolamento.

“A possibilidade de realização de videochamadas com dispositivos móveis, como celulares e tablets, ofereceram aos avós a oportunidade de participarem, mesmo de longe, dos momentos importantes que seus netos estavam vivenciando, o que possivelmente atenuou sentimentos de solidão desencadeados pela pandemia, além de estimular cognitivamente os idosos, ao passo que precisaram se reinventar e aprender novas tecnologias”, finaliza a especialista.