Homem se declara culpado por morte de adolescente que voltava da igreja para casa Um homem de 35 anos se confessou culpado por sequestrar e matar a adolescente Amish, de 18 anos, da Pensilvânia, nos EUA. Linda Stoltzfoos desapareceu enquanto voltava da igreja para casa e mais tarde foi encontrada estrangulada e esfaqueada no pescoço.

Just Smoker, que afirma ser alcoólatra e sofrer de depressão, se confessou culpado no condado de Lancaster de assassinato em terceiro grau, sequestro e outros crimes na morte de Stoltzfoos, que foi vista pela última vez caminhando rumo a sua igreja, no Dia dos Pais no ano passado.

Smoker foi condenado a a 71 anos de prisão, de acordo com o Epoch Times, que também disse que enfrenta uma sentença adicional de mais de 17 anos por violar a liberdade condicional de uma série anterior de roubos.

Smoker, que supostamente cresceu em um orfanato na Costa Rica e passou grande parte de sua vida adulta na prisão, tomou duas garrafas de bebida alcoólica no dia anterior e comprou cerveja pouco antes de sequestrar e assassinar a adolescente, disse o Defensor Público Christopher Tallarico ao tribunal
O advogado também afirmou que Smoker estava deprimido no momento do crime, pois sua irmã havia morrido na prisão e ele havia sido despejado de sua casa uma semana antes.

O juiz David Ashworth respondeu dizendo que o alcoolismo e a depressão não eram defesas para o assassinato.

Smoker pediu desculpas à família da vítima no tribunal, dizendo que ele "roubou o tempo e as memórias da família". O juiz chamou Smoker de "predador da pior espécie".

Os restos mortais de Stoltzfoos, que desapareceu em 21 de junho de 2020, foram encontrados só em abril deste ano, depois que Smoker levou autoridades ao local como condição para seu acordo de confissão de culpa.

Os restos mortais de Stoltzfoos foram recuperados em uma propriedade da ferrovia em um túmulo, envolto em uma lona atrás do local de trabalho anterior de Smoker, localizado na Rota 41 no leste do condado de Lancaster. Ela ainda estava com o vestido, o gorro e os sapatos que usava no dia em que desapareceu.

A cultura de Mervin Amish, do tio da vítima, simples e centrada na família  no condado de Lancaster  mantém sua comunidade religiosa separada de seus compatriotas mais seculares. Eles acreditam em uma interpretação literal e aplicação das Escrituras como a Palavra de Deus, incluindo mandamentos bíblicos para se separarem das coisas do mundo. Eles acreditam que o mundanismo pode impedi-los de estar perto de Deus e introduzir influências que podem ser destrutivas para suas comunidades e seu modo de vida.

Sparky Grace, que é conhecida da família da vítima, descreveu a menina como um “lindo ser humano” em uma homenagem depois que seus restos mortais foram encontrados.