Mil pastores clamam pela cidade do Rio e pelo prefeito Marcelo Crivella A União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos (Unigrejas) realizou no sábado (10) um encontro com mais de mil pastores evangélicos, de várias denominações, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Um dos momentos mais marcantes foi a oração pela cidade maravilhosa e seu prefeito, Marcelo Crivella.

A reunião com a citação do versículo de 2Crônicas 7,14: “E se o meu povo, que se chama pelo Meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a Minha face e se converter dos seus maus caminhos, então Eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.”

O Bispo Eduardo Bravo, responsável pelas relações institucionais da Universal e presidente da Unigrejas, conduziu o encontro. Ele alertou sobre a importância da santidade ao Senhor, com base na passagem bíblica citada.

“A responsabilidade de levar as pessoas ao entendimento sobre a importância de orar, buscar a Deus e da conversão dos maus caminhos, por exemplo, está sobre os nossos ombros”, alertou o Bispo Eduardo ao grupo de pastores.

Ele acrescentou que um líder deve dar exemplo: “E isso começa por nós, lideranças evangélicas. Por isso, é preciso eliminar do nosso meio a corrupção, a mentira, a pornografia ou qualquer outro tipo de mau comportamento que nos afasta do Senhor Jesus”.

Ao final, foi realizado um grande clamor em favor do poder executivo da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.

O Bispo Eduardo encerrou enfatizando: “É a primeira vez que o Rio de Janeiro tem um prefeito ‘terrivelmente evangélico’. Então, a Igreja deve orar por ele, apoiá-lo, pedir a Deus para que lhe dê sabedoria, direção, nessa missão de governar a cidade. Contrariar desejos de poderosos é uma missão muito difícil. Precisamos orar pelo prefeito Marcelo Crivella”.

Uma clara referência à passagem de 1Timóteo:1-3, “Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador”.