Alexandre Frota é expulso do PSL acusado de infidelidade partidária O PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, decidiu nesta terça-feira (13) expulsar o deputado Alexandre Frota (SP). A decisão foi tomada após reunião da sigla em Brasília e anunciada pelo presidente do PSL, Luciano Bivar.

Um dos principais articuladores do PSL na votação da reforma da Previdência na Câmara, Alexandre Frota decidiu se abster na análise da proposta em segundo turno, contrariando a orientação do partido, depois de ter sido retirado da vice-liderança do partido na Câmara.

“Fui surpreendido com essas mudanças”, disse Frota na última quarta-feira.

Ao deixar a sede do partido em Brasília, o senador Major Olímpio (PSL-SP), um dos principais nomes da sigla e desafeto de Frota, afirmou que estava "satisfeito com o partido".

Ontem (12), após ter sido alvo de pedidos de expulsão do PSL por colegas de partido e depois de várias declarações públicas criticando o governo Jair Bolsonaro, o deputado Alexandre Frota (SP) desativou todas os seus perfis nas redes sociais.

Na quarta (07), a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) protocolou no Diretório Nacional do PSL uma representação que pedia a expulsão do colega de partido Alexandre Frota.
Zambelli argumentou que Frota foi infiel ao partido ao não votar pela reforma da Previdência no 2º turno. O deputado foi o único do PSL a registrar abstenção.