Jornalista é cancelado após criticar narradora por uso de pronome neutro nas Olimpíadas “Tude”, “dilu”, “nilu”, “elu” são palavras ausentes do dicionário brasileiro, mas que passaram a ser adotadas informalmente pela comunidade LGBTQIA+. No entanto, a forma de se comunicar ganhou um novo capítulo nesta quarta-feira (21), quando a narradora Natália Lara, do SporTV, passou a adotar os chamados pronomes neutros durante a transmissão de Japão e Canadá, no torneio de futebol feminino, das Olimpíadas de Tóquio. O jornalista Rica Perrone imediatamente foi às redes sociais e fez duras críticas à narração, no que foi prontamente cancelado por internautas mais progressistas.

O assunto rendeu nas redes sociais e se tornou um dos mais comentados do Twitter no Brasil.

Em uma publicação nesta quarta, Perrone compartilhou um vídeo de uma substituição durante a partida. Na ocasião, a narradora do SporTV usou o pronome neutro "elu" ao se referir a Quinn, do Canadá.

"Inacreditável", escreveu Perrone no Twitter.

Quinn é uma pessoa transgênero não binária. Ou seja, não se identificada nem com o gênero feminino nem com o masculino.

Após as críticas, o jornalista disse: "Os lacradores revoltados pq eu acho inacreditavel mudar a língua portuguesa jornalisticamente por uma jogadora que não se identifica com o gênero feminino e está no esporte feminino ganhando dinheiro. Ok... kkkkkk. Devo ser maluco", ironizou acrescentado à polêmica o fato de mulheres estarem perdendo espaço para pessoas que nasceram homens.

A partida entre Japão e Canadá terminou 1 - 1.

Siga-nos