Hacker detalha facilidade para invadir sistema do TSE

O deputado federal Filipe Barros (PSL-PR), relator da PEC do voto impresso, movimentou as redes sociais neste sábado (16) ao publicar um vídeo que chamou de “bombástico”. Trata-se de uma entrevista com o Hacker Marcos Roberto Correia da Silva, preso por invadir o sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2020.

Conhecido como “VANDATHEGOD”, o hacker denunciou em depoimento técnico, na prisão, a fragilidade do sistema usado nas eleições brasileiras.

Durante a entrevista ele afirmou que a invasão foi feita por ativismo, sem o objetivo de interferir no resultado das eleições.

O ataque hacker citado por Marcos Roberto paralisou a contagem de votos do TSE nas eleições municipais de 2020.

Ele afirmou que outras 6 pessoas, a partir do exterior, estavam envolvidas no ataque.

O envolvido na invasão ao sistema do TSE pôde denunciar os meios utilizados para acessar pelo menos 30 mil urnas. A entrevista foi acompanhado por especialistas em segurança dos sistemas de votação.

Marcos Roberto já havia sido preso em 2019 por invadir o sistema do Exército Brasileiro. Em novembro de 2020, a “Operations security (OPSEC)” constatou a ação dele no ataque ao TSE.

Na entrevista, Vandathegod detalha a fragilidade do sistema eleitoral e conta como foi possível manipular de maneira simples o sistema.

“A falha veio em cima da aplicação web do site mesmo, a manipulação foi no banco de dados dele – do site”, afirmou Marcos.

Após a entrevista, a equipe do deputado Filipe Barros pediu ao ministro da Justiça, Anderson Torres, e ao o Secretário de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais, Rogério Greco, a proteção especial ao hacker.