Próximo filme 'Deus não está morto' vai enfatizar liberdades de expressão e religiosa

“Deus não está morto: nós, o povo”, a quarta parte da popular franquia, será lançado em breve nos Estados Unidos, mas sem previsão de chegar ao Brasil.

 O filme é um reflexo das manchetes dos últimos anos sobre as ameaças à "liberdade de expressão e liberdades religiosas como o direito fundamental de educar as crianças". O elenco traz David AR White (“Deus não está morto”), Isaiah Washington (“Grey's Anatomy ”), Antonio Sabato Jr. ("Hospital General") e a atriz cristã vencedora do Grammy Francesca Battistelli.

“O reverendo Dave é chamado para defender um grupo de famílias cristãs que educam seus filhos em casa. Ele fica surpreso com a interferência do governo e acredita que o direito de educar os próprios filhos é uma liberdade pela qual vale a pena lutar ”, diz a sinopse do filme. “O reverendo Dave é chamado a Washington, DC, para testemunhar em uma audiência marcante no congresso que determinará o futuro da liberdade religiosa nos EUA nos próximos anos.”

Como visto no trailer, o Rev. Dave é o alvo por causa de suas crenças, e ele reúne um grupo de crentes que não se curvará às pressões do tempo para silenciar sua fé.

Este é o próximo capítulo do fenômeno cinematográfico baseado na fé, que começou em 2014 com “Deus não está morto”, estrelado por Kevin Sorbo. Tornando-se um dos filmes religiosos mais lucrativos de todos os tempos, “Deus não está morto” arrecadou mais de $ 65 milhões de bilheteria.

"Deus não está morto: nós, o povo" é dirigido por Vance Null e escrito por Tommy Blaze, Cary Solomon e Chuck Konzelman. Brent Ryan Green é o produtor com os produtores executivos David AR White, Michael Scott e Jim Ameduri.

“Sentimo-nos honrados em oferecer ao nosso fiel público mais uma edição da franquia Deus não está morto que fornece uma mensagem convincente e oportuna”, disse Michael Scott, sócio fundador da Pinnacle Peak Pictures, anteriormente Pure Flix Entertainment, um importante estúdio independente de fé e cinema familiar. “Os temas deste filme refletem as manchetes das notícias e encorajam os crentes a permanecerem firmes em sua luta para proteger seus direitos espirituais e as liberdades dadas por Deus.”