Dia Mundial da Alergia: data serve de alerta para os cuidados com rinite alérgica Com a chegada do inverno, os casos de crises alérgicas aumentam, em especial a rinite - doença atópica que se caracteriza por uma inflamação da mucosa nasal, da qual resultam sintomas como: nariz entupido, coceira, espirros e coriza excessiva. Quando ignorados, o quadro evolui para outras complicações que pioram a saúde e o bem-estar do indivíduo. Por isso, neste 8 de julho, Dia Mundial da Alergia, são realizadas várias ações de conscientização da população sobre a doença.

"A pior consequência que uma pessoa sofre com a congestão nasal é o fato de se ver obrigado a respirar pela boca, o que pode ocasionar irritação na garganta, ronco e voz anasalada", diz o otorrinolaringologista Edson Freitas, especialista em nariz. “Respirar pela boca também leva ao desenvolvimento de outros distúrbios, como: otite, sinusite, faringite, amigdalite e asma", completa.


Embora a rinite alérgica não tenha cura, ela possui tratamentos. "Os doentes com rinite alérgica podem viver sem sintomas, quando tratados corretamente. Os tratamentos para rinite alérgica indicados, permitem aliviar os sintomas e desta forma melhorar bastante a qualidade de vida das pessoas que padecem da doença", afirma.


O profissional elenca 5 dicas de cuidados no ambiente doméstico e profissional, que ajudam a prevenir o desenvolvimento da rinite alérgica.

1.Exclusão de alcatifas, reposteiros, edredons de penas e peles de animais;
2.Aquisição de colchões e almofadas antialérgicos;
3.Exclusão de animais domésticos e plantas naturais, em caso de doentes especificamente sensíveis;
4.Utilização regular de desumidificadores para controlar a humidade, que acima dos 50% é favorável ao desenvolvimento de ácaros e fungos;
5.Uso de purificadores de ar por filtragem.