Pastor canadense que foi preso na frente dos filhos é libertado: “não tema os homens, tema a Deus”

O pastor canadense Tim Stephens foi libertado no último dia 1º de julho, mais de duas semanas depois de ser preso na frente dos filhos por manter funcionando os serviços de sua igreja durante restrições da Covid-19. À sua congregação, ele contou que saiu fortalecido pelo apoio e oração de cristãos de todo o mundo.

“Nós estivemos na prisão por 17 noites e 18 dias. E quando você está lá por tanto tempo assim, escrevendo, passa muita coisa pela sua cabeça e você quer compartilhar tudo isso” – disse Stephens, emocionado, durante um sermão.

Com lágrimas nos olhos, o pastor contou que “em cada dia, Ele me sustentou, em cada dia eu ouvi da obra Dele entre vocês e no mundo” e lembrou que “o texto em Mateus 10 fala sobre as consequências crescentes, a oposição que as pessoas enfrentam quando se sustentam em Jesus Cristo.”

“As últimas 17 noites que eu passei na prisão me deram a oportunidade de declarar a glória de Cristo. Nunca na minha vida eu tinha recebido tanto ódio das pessoas, mas também nunca tinha recebido tanto amor, ao mesmo tempo. Não temam aos homens. Grite que Jesus Cristo é o Rei de todos os reis. Tema a Deus. Jesus disse que Deus é quem vai julgar, e Deus é quem vai cuidar de você” – completou o pastor Stephens em seu sermão.

Antes de ser preso, o pastor havia reconhecido que a Covid-19 é “algo sério”, mas defendeu que “a cura não deveria ser pior do que a doença”, apontando para problemas de saúde mental entre as pessoas. Jay Cameron, diretor do Centro de Justiça, criticou o governo da província canadense de Alberta, onde Stepehens e outros dois pastores foram presos:

“A pereseguição do governo a cristãos pelo ‘crime’ de promover pacificamente a adoração a Deus não vai e não pode ser esquecida” – afirmou.



Veja também:

Pastor canadense diz que ataques a igrejas trazem a memória do comunismo